Opep+ deve manter política de produção de petróleo em meio à incerteza da Covid

·1 minuto de leitura

Por Alex Lawler e Olesya Astakhova e Ahmad Ghaddar

LONDRES (Reuters) - A Opep e seus aliados devem manter um acordo existente para elevar a produção de petróleo em 400.000 barris por dia (bpd) em novembro, disseram três fontes da Opep+ nesta segunda-feira, enquanto avaliam a ameaça de novos surtos de coronavírus contra os apelos dos consumidores por produto mais barato.

O petróleo Brent avançou 50% até agora este ano, subindo acima de 80 dólares o barril no mês passado e sendo negociado em torno de 79 dólares nesta segunda-feira, apoiado por interrupções no fornecimento e um pico de demanda enquanto a economia global se recupera da pandemia.

Ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, Rússia e seus aliados, conhecidos como Opep+, vão se reunir de forma online às 10h (horário de Brasília). Um painel ministerial da organização que monitora a evolução do mercado, conhecido como JMMC, reúne-se antes disso.

"Há pedidos de mais um aumento de produção por parte da Opep+", disse uma das fontes à Reuters. "Estamos com receio da quarta onda de coronavírus, ninguém quer fazer grandes movimentos."

A Opep+ concordou em julho em aumentar a produção em 400.000 bpd todos os meses até pelo menos abril de 2022 para eliminar gradualmente 5,8 milhões de bpd dos cortes de produção existentes.

"O mais razoável é adicionar 400.000 bpd, não mais”, afirmou outra fonte. Uma terceira também disse que este era o resultado mais provável, mas deixou espaço para um possível aumento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos