Operação apreende motos irregulares após assaltos na Zona Sul

As polícias Militar e Civil, em parceria com a Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop), fazem nesta quinta-feira uma operação conjunta para identificar motociclistas que praticam crimes em viários bairros da Zona Sul do Rio. Até 12h, ao menos 50 motos haviam sido apreendidas. Todas elas tinham algum tipo de irregularidade, como falta de identificação, placa adulterada e/ou raspada e ausência de documentação. A ação acontece após a divulgação de vídeos de roubos cometidos por falsos entregadores em Ipanema e no Leblon.

Advogada é agredida em assalto na Zona Sul: 'Leblon virou uma selva'

Assaltos em Ipanema: Câmeras de prédios flagram roubos

Segundo o 23º BPM (Leblon) e a 14ª DP (Leblon), foram identificados suspeitos de cometer roubos nos dois bairros.

— Por conta do alto poder aquisitivo da população do Leblon, criminosos das comunidades de Jacaré, Manguinhos e Mangueira vêm para cá. As ruas são mais apertadas, as pessoas fazem tudo a pé, há muito turista. Isso acaba atraindo esses bandidos — afirma a delegada Daniela Terra, titular da 14ª DP.

Para o secretário da Seop, o delegado Breno Carnevale, muitas motos sem placas estão sendo usadas para cometer crimes na Zona Sul.

— Queremos combater irregularidades cometidas por motocilistas como andarem sem placas, na calçada etc. Isso causa desordem e é usado para o cometimento de crimes. Fazemos essa operação para reverter esse cenário de ilegalidade. Aqui são pontos estratégicos dentre outros que vamos atuar.

O tenente-coronel Maurílio Nunes da Conceição, do 23º BPM, afirma que muitos criminosos têm fingido que são entregadores para cometer os roubos.

— Identificamos alguns meios que os marginais usam para cometer crimes na região. Infelizmente, um meio é se passar por entregador usando motocicletas e até bicicleta. Por conta disso, planejamos essa operação para coibir o trânsito de motos irregulares. Na região, eles agem mais a pé nas praias . Mais para dentro do bairro, são os falsos entregadores. Eles passam de moto, metem a mão no objeto da vítima e fogem. Estamos identificando-os e prendendo. Precisamos combater esses delitos. Os criminosos são muito pulverizados. São da Rocinha, do Chapéu Mangueira — diz o tenente-coronel.

Segundo Nunes da Conceição, é importante que as vítimas registrem os roubos:

— A participação da sociedade é importante. Quando forem roubados, liguem para a PM e registrem o delito na Polícia Civil. Além disso, temos um curso de segurança predial para porteiros e síndicos da região de como fazer a segurança da sua região. Isso aumenta uma participação com a gente. Além disso, as câmeras são importantes, A conduta do porteiro é fundamental na saída e entrada do morador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos