Operação internacional de combate à pornografia infantil faz buscas no Brasil e em mais quatro países

·1 minuto de leitura

Foi deflagrada, na manhã desta sexta-feira, a sétima fase da operação internacional de combate à pornografia infantil Luz na Infância, com diligências no Brasil, Argentina, Panamá, Paraguai e Estados Unidos. A ação, coordenada pela Diretoria de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça, tem como objetivo identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual infanto-juvenil.

Ao todo, estão sendo cumpridos 137 mandados de busca e apreensão. No Brasil, os investigadores estão atuando nos estados de Alagoas, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Caso encontrados materiais pornográficos nesses endereços, os responsáveis podem ser presos em flagrante.

Desde a primeira fase da operação Luz na Infância, deflagrada em outubro de 2017, 597 pessoas já foram presas. A pena para quem produz conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual é de quatro a oito anos de prisão. Quem armazena esse tipo de material, pode pegar de um a quatro anos de reclusão e, quem compartilha, de três a seis anos.

No Rio de Janeiro, a Polícia Civil tenta cumprir sete mandados de busca e apreensão, nos bairros de Jacarepaguá, Lins de Vasconcelos e Vargem Pequena, na capital, e centro e Santa Luzia, em São Gonçalo.