Operação mira milícia comandada por PM que atua na Zona Oeste do Rio

Rafael Nascimento de Souza e Vera Araújo
Os agentes reunidos em frente à Delegacia de Homicídios da Capital

RIO - A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio fazem uma megaoperação, na manhã desta terça-feira, contra um grupo de milicianos que atua em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Ao todo, são 24 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão que estão sendo cumpridos em pelo menos quatro bairros. Entre os alvos estão quatro policiais militares que estão na ativa. Até as 6h25, três pessoas haviam sido presas na ação.

Segundo a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), o bando atua em Pechincha, Jacarepaguá e Gardênia, todos na Zona Oeste, e também em Madureira, na Zona Norte da capital. Os milicianos, de acordo com as investigações, cobram diversas taxas de comerciantes e moradores, além de atuarem com o crime organizado. O bando é liderado por PMs. O principal integrante da quadrilha foi procurado em casa, no Anil. A investigação demonstrou que a quadrilha é responsável por vários homicídios nas Zonas Norte e Oeste.

— É lamentável a presença, ainda, de agentes públicos insistam em participar de organização criminosa. Esse é um grupo violento, que atua com opressão a população local e estão envolvido em vários homicídios da região. Com a retirada deles nas ruas, acreditamos que os crimes vão diminuir — disse o delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, titular Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP).

O objetivo da ação também é encontrar celulares, computadores, armas e dinheiro.

— A expectativa é a queda dos homicídios nessas regiões — disse o delegado Daniel Rosa.

Mais de 200 policias estão na ação, além de 12 promotores do Ministério Público e agentes da Corregedoria da Polícia Militar.