Operação no Alemão que deixou 18 mortos repercute na imprensa internacional

A operação em conjunto da Polícia Civil e Militar no Complexo do Alemão, que deixou 18 mortos na última quinta-feira, repercutiu na imprensa internacional.

Mortes no Alemão: corpos de PM e de duas mulheres serão enterrados neste sábado

Aumento de 76,8%: Polícias do Rio realizaram duas operações em favelas por dia desde decisão do STF restringindo ações

O jornal americano The Washington Post afirmou que a ação policial 'provocou protestos e acusações de abuso'. A operação foi classificada como uma das 'mais sangrentas' do tipo. A reportagem destaca ainda o número de mortes anuais causadas pelas forças de segurança brasileiras, seis vezes maior que a dos Estados Unidos.

Já o canal de televisão britânico BBC ao comentar o episódio relembrou a morte de 22 pessoas na Vila Cruzeiro, em maio deste ano, e os 25 mortos do Jacarezinho, no ano passado. Segundo a matéria, operações 'mortais não são incomuns nas favelas do Rio de Janeiro'.

No espanhol El País, a operação foi classificada como a terceira mais letal do ano na cidade. O jornal destacou o longo tempo que durou a troca de tiros, cerca de 12 horas.

A reportagem publicada no jornal argentino Clárin se referiu à ação como "um confronto sangrento entre criminosos e policiais". A matéria chama atenção ainda para a nota da Defensoria Pública do estado, que afirmou existirem indícios de violação de direitos humanos na operação.

O veículo argentino mencionou também a reação do presidente Jair Bolsonaro ao episódio. Segundo o jornal, a operação policial foi "aplaudida pelo Governo do Rio de Janeiro e pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que lamentou a morte do cabo de polícia". A reação de Bolsonaro também foi citada pelo jornal francês Le Monde.

O canal de televisão Al Jazeera destacou o tamanho da operação, que contou com 400 policiais e o apoio de quatro aeronaves e 10 veículos armados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos