Operação Verão: Corpo de Bombeiros investiu mais de R$ 3 milhões em equipamentos e ampliou efetivo da orla

·2 min de leitura

O Corpo de Bombeiros do Rio anunciou, nesta terça-feira, o início da Operação Verão, que envolve táticas de prevenção e salvamento marítimo reforçadas para a estação, até o mês de março.

Para suprir a demanda do período — em que há aumento da quantidade de banhistas e do fluxo de embarcações em praias, rios e lagoas —, a corporação investiu mais de R$3 milhões na aquisição de equipamentos como motos aquáticas, pranchões de salvamento, nadadeiras e protetores solares. Além disso, houve ampliação do efetivo da orla.

Outras aquisições, como camisetas, calções, sungas, óculos de sol, apitos e garrafas térmicas, ainda estão em fase final de licitação e compra. O Corpo de Bombeiros também prevê a instalação de 104 novos entrepostos de guarda-vidas e a modernização de dez lanchas.

O planejamento para o verão, de acordo com o secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Leandro Monteiro, faz parte do planejamento para garantir a qualidade do serviço prestado e a segurança da tropa.

Segundo a corporação, este ano, até dia 19 de dezembro, o 3º Grupamento Marítimo (Copacabana) ocupava o topo do ranking de atendimentos por agentes na praia. Foram 2.879. Em seguida, está o 18º Grupamento de Bombeiros Militar (18º GBM), em Cabo Frio, com 1.552 atendimentos. O terceiro lugar no ranking é ocupado pelo 3º Destacamento de Bombeiro Militar (DBM 3/M), no Recreio dos Bandeirantes, com 1.391 atendimentos.

Durante a estação, dados do Corpo de Bombeiros mostram que há uma média de 220 mil ações de prevenção nas praias. São 2.200 ações por dia, 90 por hora. De dezembro de 2020 a março de 2021, foram realizados aproximadamente cinco resgates por dia.

Recomendacões do Corpo de Bombeiros para o verão

As principais orientações do Corpo de Bombeiros para quem quer curtir o verão sem sustos é estar sempre próximo aos postos de guarda-vidas, respeitar as bandeiras de sinalização, consultar os guarda-vidas sobre o local mais indicado para banho e não consumir bebidas alcoólicas ou se alimentar antes de entrar no mar.

Para quem estará acompanhado de crianças, é essencial que elas sejam identificadas com nome e telefone para contato. E, para evitar acidentes com pranchas de surfe, os banhistas devem se afastar dos locais conhecidos como “point” dos surfistas.

Atualmente, o serviço marítimo dos bombeiros tem 217 postos de salvamento que cobrem os 246 quilômetros da orla fluminense. Ao todo, são cerca de 1.200 militares atuando nas praias do estado do Rio. Além do efetivo, a corporação também tem 4.750 placas de sinalização de perigo, 200 totens informativos e 18.900 bandeiras de sinalização de risco espalhadas em pontos estratégicos.

*Estagiário sob supervisão de Leila Youssef

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos