Operação no Jacarezinho: 24 corpos foram removidos sem perícia no local

·2 minuto de leitura
View of the scene where an alleged drug trafficker was reportedly killed by civil police while trying to escape and ran into the room of a nine-year-old girl who witnessed the shooting, in Jacarezinho favela, Rio de Janeiro, Brazil on May 6, 2021. - A massive police operation against drug traffickers in a Rio de Janeiro favela Thursday left at least 24 suspects and a policeman dead, Brazilian media reports and AFP correspondents said. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo by MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Durante a operação policial no Jacarezinho, 28 pessoas morreram, sendo uma delas um policiais civil (Foto: Mauro Pimentel/AFP via Getty Images)
  • Entre os 27 corpos, 24 foram retirados sem perícia no local

  • Suspeitos presos afirmaram que tiveram de colocar corpos das vítimas em blindados da Polícia Civil

  • Ao todo, 28 pessoas morreram durante operação no Jacarezinho, Zona Oeste do Rio de Janeiro

Entre as 27 pessoas que foram assassinadas por policiais durante a operação no Jacarezinho, Zona Oeste do Rio de Janeiro, 24 foram removidos sem que a perícia fosse feita no local. É o que mostram os registros de ocorrência da operação, que aconteceu na última quinta-feira (6). Além dos 27 mortos pela polícia, um agente morreu.

No último sábado (8), quatro suspeitos presos durante a operação prestaram depoimento. De acordo com o G1, eles contaram que durante a ação policial foram obrigados a levarem corpos de pessoas mortas para dentro de blindados da Polícia Civil. Eles ainda relataram que só não foram mortos também porque estavam perto de parentes.

Leia também

Mesmo com os registros, a corporação nega que só tenha feito perícia no local da morte de três pessoas. Em nota, a Polícia Civil alegou que é possível fazer a perícia já sem os corpos no local. Eles ainda afirmam que levaram os corpos para unidades hospitalares, por isso tiveram de retira-los de onde estavam.

Ao G1, a Secretaria de Estado de Polícia Civil informou que “a versão nos criminosos presos será apurada na investigação”. Ao todo, seis pessoas foram presas.

Até o momento, a polícia divulgou a lista com os nomes dos mortos na operação, mas não publicou quais crimes eles cometeram.

ONU pede investigação independente

Residents of the Jacarezinho favela in Rio de Janeiro, Brazil, on May 7, 2021 protest to remember the death of 28 people during yesterday's police operation. Police say that the operation in Jacarezinho had 28 dead In a speech at the dead inspector's funeral, Alan Turnowski said that intelligence says that all those killed by the police in the action are drug dealers.  (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
Moradores do Jacarezinho protestaram em 7 de maio contra a violência policiail (Foto: Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)

A Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do escritório de Direitos Humanos, pediu que seja feita uma investigação independente sobre a operação policial no Jacarezinho, no Rio de Janeiro. A ação deixou 28 pessoas mortas, entre eles, um policial.

Rupert Colville, porta-voz dos Diretos Humanos da ONU, classificou que há um histórico de uso “desproporcional e desnecessário” da força por parte da polícia. “Pedimos que o promotor conduza uma investigação independente e completa do caso de acordo com os padrões internacionais”, disse Colville durante entrevista coletiva em Genebra, na Suíça.

“A força só deve ser usada como último recurso e a polícia não tomou medidas para preservar as evidências na cena do crime”, declarou o porta-voz da ONU.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos