Operação prende PMs acusados de extorquir comerciantes do Rio

Em casa de PM preso, policiais civis encontraram R$ 40 mil em notas escondidos em um sapato e uma pistola roubada da Marinha. (Foto: Reprodução)

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) do Rio de Janeiro deflagrou nesta sexta-feira (29) uma operação contra crimes de extorsão, de vantagem indevida, organização criminosa e roubo qualificado. Os alvos são policiais militares. Até agora, sete PMs do setor de Inteligência foram presos pela Polícia Civil.

Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão. A operação é realizada por agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), com apoio da Corregedoria da Polícia Militar.

Leia também

Segundo a Polícia Civil, as investigações, que duraram dois meses, indicaram que os acusados “se faziam passar por agentes da DRCPIM para extorquir dinheiro de comerciantes em diversas partes do estado do Rio de Janeiro”.

Ainda conforme a Polícia Civil, várias vítimas prestaram depoimento e auxiliaram na identificação do grupo criminoso.

PMS PRESOS

  • Guttemberg Dantas da Silva

  • Ivan Marques Cunha

  • Jefferson Rodrigues Batista

  • Leslie Cristina Duarte Rocha

  • Nacle de Souza Oliveira

  • Roberto Campos Machado

  • Victor Magnano Mangia

Uma das equipes foi ao Quartel Central da PM, no Centro do Rio, onde fica a Subsecretaria de Inteligência da PM. Em um dos endereços alvos de buscas, os policiais encontraram R$ 40 mil em notas escondidos dentro de um sapato na casa de um tenente da PM. Na mesma residência, os policiais localizaram uma pistola roubada da Marinha do Brasil.

A Polícia Civil também apreendeu três armas frias, calças e relógios falsos e HDs com imagens de câmeras de segurança. Segundo as investigações, a quadrilha recolheu os registros de uma das lojas atacadas.

SUBSECRETÁRIO EXONERADO

No decorrer da operação, o subsecretário de Inteligência da PM, o coronel Rubens Castro Peixoto Júnior, foi exonerado. Em nota, a Polícia Militar informou que, em seu lugar, será nomeado o coronel Murilo Cesar de Miranda Angelloti. Atualmente, ele é o Comandante de Policiamento Especializado (CPE).

Todos os setes PMs presos na operação desta manhã foram indicados por Peixoto para a Subsecretaria de Inteligência, e cinco deles já haviam trabalhado com o coronel no 18º BPM (Jacarepaguá) e também no Batalhão de Ações com Cães (BAC).

Por meio de uma nota, a Polícia Militar afirma que “repudia, com veemência, condutas criminosas realizadas por seus integrantes”. Ainda de acordo com o comunicado, “é interesse da Polícia Militar identificar e expurgar policiais que manchem a honra da corporação”.

Por fim, a corporação afirma que “a Corregedoria Geral da Polícia Militar acompanha toda a ação e tomará as medidas cabíveis pelas condutas dos envolvidos no caso”.

Procurado, o delegado Mauricio Demétrio Afonso Alves, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), disse que não estava autorizado a passar detalhes da investigação. Cerca de 70 policiais civis participaram da ação.

com informações do Jornal Extra