Operadora de saúde para idosos tem oito funcionários com coronavírus na UTI

MATHEUS MOREIRA, ROGÉRIO PAGNAN E MÔNICA BERGAMO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prevent Senior, operadora de saúde para idosos, informou nesta quarta (18) que oito dos seus colaboradores estão internados na UTI por causa do coronavírus. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da empresa.

Nos dias 17 e 18, viralizou um áudio, supostamente gravado por Fernando Parrillo, CEO da empresa, no qual ele afirmava que a Prevent Senior já tinha registrado nove mortes pela Covid-19. A empresa não confirma a autenticidade do áudio nem diz se as informações estão corretas.

Até o momento, a empresa confirmou apenas uma morte pelo novo coronavírus -a primeira do Brasil- e aguarda resultados de exames para confirmar se três outras mortes entre seus pacientes também teriam sido causadas pelo Sars-Cov-2. Duas mortes de atendidos da Prevent Senior tiveram resultado negativo para coronavírus.

Pelo menos 19 pacientes da operadora haviam sido infectados pelo vírus, 12 dos quais estão internados em UTI.

Outras 36 pessoas atendidas pela operadora aguardam exames para confirmação da infecção por coronavírus. Desse total, 14 estão internadas na UTI e 22 acomodadas em apartamentos.

Ao todo, a empresa já realizou 365 testes para a Covid-19. Até o fechamento deste texto, havia recebido o resultado de 95 exames, dentre os quais 36 foram positivos para coronavírus e 59 negativos.

A Prefeitura de São Paulo decidiu investigar a rede Prevent Senior, que vende planos de saúde e tem uma rede própria de hospitais.

A rede registrou a primeira morte por coronavírus no país, na terça (17), de um homem de 62 anos que tinha hipertensão e hiperplasia prostática. E é acusada de não ter avisado que a doença havia sido confirmada em um de seus pacientes, como manda a lei, na terça (17).

A informação só teria sido dada ao governo de São Paulo depois do óbito.

"Nós vamos abrir uma investigação rígida", diz o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido. "Eles tinham obrigação, como todos os hospitais, de notificar toda e qualquer confirmação de casos de coronavírus. E só procuraram o governo de São Paulo depois da morte", afirma.

Nesta quinta (18), a Prevent Senior anunciou que isolou o hospital Sancta Maggiore, que mantém no Paraíso, porque já tinha registrado 202 casos suspeitos e 8 confirmados da doença.

Edson Aparecido diz que a equipe da prefeitura entrou no hospital na quarta (17) e não encontrou ninguém na UTI.

Segundo ele, a vigilância sanitária já está com uma equipe "fazendo levantamentos, exigindo todos os protocolos de internação".

Edson Aparecido diz ainda ser necessário investigar a informação de que quatro mortes suspeitas de coronavírus tenham ocorrido no hospital Sancta Maggiore, que pertence à Prevent Senior.

A Folha enviou mensagem à assessoria de imprensa da Prevent Senior, mas ainda não obteve resposta.