Oposição denuncia morte de manifestante baleado na Venezuela

Opositores venezuelanos protestam em Caracas, em 10 de abril de 2017

Um estudante de 19 anos morreu na madrugada desta terça-feira na cidade venezuelana de Valencia após ser baleado no pescoço durante um protesto contra o presidente Nicolás Maduro, denunciaram os dirigentes opositores.

"Confirmada a morte de Daniel Queliz, de 19 anos, que estava protestando" em Valencia (estado Carabobo, centro-norte), indicou no Twitter o deputado opositor Marco Bozo.

Por sua parte, Aarón Rodríguez, dirigente da Vontade Popular - partido de Leopoldo López, líder opositor que se encontra preso-, atribuiu a morte do rapaz a um agente da polícia regional, que o atingiu no pescoço com um disparo.

Queliz foi identificado como estudante da Universidade Arturo Michelena, a maior instituição de estudos superiores particular de Valencia.

A oposição venezuelana mobilizou-se novamente em Caracas na segunda-feira, em seu quinto protesto contra o governo Maduro no mês de abril, uma estratégia que eleva a tensão social e voltou a gerar distúrbios.

A oposição denunciou o lançamento de bombas de gás de helicópteros e do alto de prédios do governo.

Desde o início, em 1º de abril, a oposição pretende levar as marchas ao centro, reduto do chavismo e onde estão as sedes dos poderes públicos.