Oposição pede para MPF investigar presidente do Inep em caso de visita de agente da PF

·1 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 12.07.2019 - O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 12.07.2019 - O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os líderes dos partidos de oposição ao governo acionaram o Ministério Público Federal para que Danilo Dupas, presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), seja investigado por possível improbidade ao colocar sob sigilo as informações sobre a visita de um policial federal à sala segura do órgão.

Dupas tornou secreto o processo interno sobre o documento no qual há a permissão para a entrada de um policial federal na sala onde exames como o Enem são elaborados.

Na representação encaminhada ao MPF, as lideranças afirmam que Dupas impôs sigilo sem justificativa aos documentos de interesse público.

No entendimento dos deputados, a ação pode configurar violação ao princípio constitucional da publicidade.

"O governo Bolsonaro banalizou o uso do sigilo de informações sensíveis com o intuito de esconder as suas mazelas. Foi assim com os cartões corporativos do Planalto, com os documentos de compra da Covaxin e com o valor de um cachê pago a um locutor amigo de Bolsonaro que protagonizou uma peça publicitária para o governo", diz Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos