Motim mata 2 monitores em centro de menores da Guatemala

Cidade da Guatemala, 19 mar (EFE).- Pelo menos dois monitores morreram e outros cincos estão feridos e permanecem retidos por jovens que se amotinaram neste domingo em um centro correcional de menores na cidade de San José Pinula, na Guatemala.

A Polícia Nacional Civil (PNC) indicou que no interior do centro estatal Etapa II há 47 jovens da gangue Barrio 18, e 26 deles são "os inconformados", que solicitam a presença da Procuradoria de Direitos Humanos e da Procuradoria Geral da Nação, assim como de juízes.

Durante o motim, os jovens tomaram como reféns os sete monitores, que foram espancados e dos quais tiraram seus rádios de frequência, e também atearam fogo em um dos setores do centro.

Alguns tentaram fugir subindo pelo teto e armados com paus, escadas e qualquer utensílio que tivessem a seu alcance, mas um cordão policial, que lançou gás lacrimogêneo, impediu a ação.

O Corpo de Bombeiros confirmou a morte de duas pessoas, uma delas já transferida, enquanto várias outras, entre elas menores internos, foram atendidas nas imediações por golpes, intoxicação de gás lacrimogêneo e também crise nervosas.

As autoridades seguem sem conseguir retomar o controle do centro, pois supostamente os internos pedem, entre outras coisas, que transfiram vários "amigos" e "companheiros" reclusos em outros correcionais para o local.

Este incidente acontece poucos dias de um incêndio no albergue de menores Hogar Seguro Virgen de la Asunción, situado no mesmo município, que deixou 40 meninas e adolescentes mortas e várias feridas.

Nesse refúgio, a cargo da Secretaria de Bem-Estar Social da presidência da Guatemala, houve um incêndio que foi supostamente causado pelas próprias jovens para protestar contra agressões físicas e sexuais que sofriam. EFE