ELN e Colômbia anunciam pausa em diálogo até definição de novo país mediador

Quito, 20 abr (EFE).- As delegações do Exército de Libertação Nacional (ELN) e do governo da Colômbia anunciaram nesta sexta-feira que haverá uma pausa na quinta rodada de negociação de paz até a definição de um novo país mediador, posto deixado pelo Equador.

Os diálogos tinham começado no dia 15 de março, em Quito. Pouco antes de o Equador anunciar que não mais sediaria as negociações, as delegações afirmaram que analisavam de maneira conjunta opções para substituir o país anfitrião.

Em comunicado, o governo da Colômbia e o ELN agradecem o Equador por ter acolhido as negociações. As partes também informaram que têm a intenção de retomar os diálogos o mais rápido possível.

"Continuamos avançando na busca de resultados, entre eles, o projeto de participação da sociedade e de um novo cessar fogo que contribua para a paz da Colômbia e o bem-estar da região", disse.

O documento é assinado pelo negociador-chefe da Colômbia, Gustavo Bell Lemus, e pelo representante do ELN, Pablo Beltrán.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, revelou hoje que recebeu ofertas de Chile, Brasil, Cuba e Noruega para receber as negociações entre as partes. Os três últimos países já são fiadores do processo de paz entre governo e guerrilheiros.

O presidente do Equador, Lenín Moreno, surpreendeu nesta semana ao anunciar que deixaria de ser fiador do processo de paz entre Colômbia e a ELN, acusando a guerrilha de praticar "atividades terroristas". EFE