Trump lembra que em breve decidirá se continua no acordo nuclear com o Irã

Washington, 20 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lembrou nesta terça-feira que em breve tomará uma decisão sobre se mantém seu país no acordo nuclear com o Irã, assunto sobre o qual conversou em reunião com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman.

"(É preciso) voltar a avaliar o acordo do Irã em um mês. Veremos o que acontece", disse Trump aos jornalistas no início de sua reunião com o príncipe herdeiro saudita na Casa Branca.

Perguntado por se retirará os EUA do pacto multilateral assinado em 2015, Trump respondeu: "Já verão o que faço".

"O Irã não tratou essa parte do mundo nem o próprio mundo de forma adequada, estão acontecendo muitas coisas ruins no Irã", disse o presidente.

O príncipe saudita confirmou que planejava falar com Trump sobre os planos dos EUA a respeito do acordo nuclear, assinado pelo governo do ex-presidente Barack Obama com o Irã e outros cinco países: França, Reino Unido, Alemanha, Rússia e China.

Trump deve decidir a cada 120 dias, conforme a lei, se mantém ativo um mecanismo que suspende temporariamente as sanções ao Irã por seu programa nuclear em virtude do acordo, e esse prazo expira novamente no próximo dia 12 de maio.

Em janeiro, Trump fez um ultimato aos seus aliados na Europa para que negociem com ele, antes de 12 de maio, um acordo suplementar que corrija os "defeitos" desse pacto multilateral, e afirmou que, caso contrário, se retirará do acordo.

Em sua reunião com o príncipe saudita, Trump elogiou a relação bilateral e agradeceu ao reino árabe por suas multimilionárias compras militares dos EUA, que apoiam "mais de 40 mil empregos".

Bin Salman é o homem mais poderoso da Arábia Saudita, atrás apenas de pai, o rei Salman, e desenvolveu uma relação próxima com o genro e assessor de Trump, Jared Kushner, com quem terá um jantar de trabalho durante sua visita a Washington.

"Acho que seu pai tomou uma decisão muito sábia" ao designá-lo como sucessor na coroa, disse Trump ao príncipe herdeiro, e acrescentou que "sente saudades" do rei saudita, Salman bin Abdul Aziz, que "virá em breve" a Washington. EFE