Oposição síria se mostra disposta a atuar nas negociações de paz em Astana

Astaná, 3 mai (EFE).- A delegação da oposição armada síria abandonou o primeiro dia da quarta rodada de negociações de paz sobre a Síria que começou nesta quarta-feira em Astana, mas se mostrou aberta, com condições, ao diálogo com as delegações de Rússia, Turquia, Irã e o governo do presidente Bashar al Assad.

Usamu Abu Zeid, membro da delegação opositora síria, declarou a suspensão das negociações, mas anunciou que a delegação não saiu do Cazaquistão e que poderia voltar à mesa de conversas se o exército sírio parar de bombardear a parte do país controlada pelas forças opositoras.

"Deixamos a mesa de negociações, mas não saímos da Turquia, e viemos às reuniões para dar uma oportunidade a estes países de mostrar que estão dispostos a negociar e que têm boas intenções", declarou Abu Zeid.

Ao longo do dia, a delegação opositora síria teve uma reunião com Staffan de Mistura, o enviado especial da ONU para a Síria, e com representantes americanos, informou o diretor do departamento de Ásia e África do Ministério de Assuntos Exteriores do Cazaquistão, Aidarbek Tumatov.

Além disso, um representante dos opositores declarou que durante estes encontros com membros da ONU e da delegação dos Estados Unidos, que nesta ocasião está representada pelo secretário de Estado adjunto para Assuntos de Oriente Médio, Stuart Jones, não se chegou a nenhum acordo.

Segundo o líder da delegação russa, Alexandr Lavrentiev, a oposição síria abandonou as reuniões após receber informações sobre um suposto bombardeio nas regiões de Hama e Deraa por parte de aviões russos.

Lavrentiev negou a veracidade destas informações e declarou que a delegação da oposição síria não quer assumir obrigações na negociação e na realização de acordos.

"Infelizmente, os representantes da oposição armada síria estão tentando pressionar aos representantes dos Estados fiadores do processo de Astana (Rússia, Turquia e Irã) para assim obter condições mais favoráveis", declarou Lavrentiev.

Tanto o representante russo como o enviado especial da ONU expressaram o desejo de que a delegação da oposição síria participe amanhã do segundo dia desta rodada de negociações.

A programação de hoje em Astana começou ao meio-dia (horário local) e nela foram tratados temas como a criação - proposta pela delegação russa - de zonas de segurança nas quais seria iniciada uma redução das hostilidades.

As partes também debateram o estabelecimento de um documento protocolar sobre o regime de diminuição das hostilidades e a troca de prisioneiros.

Esta é a quarta rodada de conversas na capital do Cazaquistão para uma solução pacífica para o conflito entre o governo da Síria e a oposição armada. As três rodadas anteriores aconteceram, sem sucesso em busca de um acordo, nos dias 23 e 24 de janeiro, 15 e 16 de fevereiro e 14 e 15 de março. EFE