Opositores são vistos em audiências judiciais na Nicarágua pela primeira vez desde sua prisão

Opositores do governo da Nicarágua foram mostrados nesta terça-feira em audiências judiciais, em muitos casos depois de mais de um ano sem serem vistos pelo público, em imagens divulgadas pela imprensa oficial.

Pela primeira vez desde a sua prisão, uma dezena de opositores presos que foram condenados foram mostrados durante uma sessão judicial, algemados, barbeados e mais magros. Entre eles estavam os ex-candidatos à presidência Juan Sebastián Chamorro, Medardo Mairena e Miguel Mora, detidos antes das eleições de novembro de 2021, nas quais o presidente Daniel Ortega foi eleito para o quarto mandato consecutivo em meio a questionamentos internacionais.

Também foi mostrado nas imagens o líder estudantil Lesther Alemán, preso no ano passado, um dos cabeças dos protestos contra o governo Ortega em 2018. Segundo o jornal oficial "El 19 Digital", os presos foram levados para "audiências judiciais" na capital a fim de que os juízes os informassem sobre o andamento de seus recursos de apelação ou cassação.

Desde meados de 2021, um grupo de 46 opositores e críticos de Ortega foi preso e acusado de crimes como “minar a soberania” ou lavagem de dinheiro. Este ano, eles receberam sentenças de até 13 anos.

A divulgação de imagens dos opositores acontece um dia após seus parentes terem expressado preocupação com as condições de sua prisão e a deterioração de sua saúde.

O defensor dos direitos humanos Pablo Cuevas, exilado nos Estados Unidos, considerou a apresentação dos presos "puro show" e questionou a qualidade dos alimentos que eles recebem, a julgar por seu estado físico.

jr/mav/yow/lb