Orçamento para manutenção de equipamentos olímpicos está mantido, diz ministro

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

Apesar do corte de R$ 42,1 bilhões do Orçamento-Geral da União anunciado pelo governo federal, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, disse hoje (31) que a pasta manteve os recursos no valor de R$ 45 milhões anuais para manutenção das Arenas Cariocas 1 e 2, o Centro Olímpico de Tênis e o Velódromo do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.

“O ministério reservou os recursos no seu orçamento para, mesmo num momento difícil pelo qual o país passa de restrições orçamentárias, que o legado olímpico seja preservado”, disse Picciani.

Ele garantiu que o Parque Olímpico não será um “elefante branco”. “Desafios existem, problemas a serem solucionados existem e nós não negamos a necessidade de enfrentar os desafios”, disse Picciani, para quem a adaptação das arenas para receber novas modalidades esportivas é um dos ajustes a serem solucionados.

Segundo o ministro, a partir de maio já estão agendados eventos esportivos para as arenas, como as etapas do Mundial do Vôlei de Praia e os campeonatos estadual e brasileiro de ciclismo de pista

Vereadores da Comissão de Esportes da Câmara Municipal do Rio de Janeiro acompanharam a vistoria do Parque Olímpico com o ministro. Eles estão fazendo um levantamento sobre o legado olímpico e avaliam as condições dos equipamentos esportivos da cidade que estão ou deveriam estar à disposição da população e das entidades esportivas.

“A nossa função é conseguir transformar o largado olímpico em legado olímpico. Encontramos algumas arenas em bom uso, mas tem coisas que precisamos melhorar na manutenção e num calendário de eventos para que o local seja utilizado. Precisamos trazer nossos futuros atletas para dentro da arena. São ajustes que precisamos fazer”, disse o presidente da Comissão de Esportes da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Felipe Michel (PSDB).