Orbán diz que resolução do Parlamento Europeu é "anedota"

Uma "anedota", foi desta forma que o primeiro-ministro húngaro reagiu à resolução do Parlamento Europeu aprovada em Estrasburgo esta quinta-feira.

A declaração de Viktor Orbán foi feita depois de receber em Belgrado a Ordem de Mérito da Sérvia, pela mão do presidente Alexander Vucic.

Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria: "Estão a fazer isto pela segunda ou terceira vez, adotando decisões que condenam a Hungria no Parlamento Europeu. Costumávamos pensar que tinha alguma importância, mas agora pensamos que é uma anedota. [...] As sanções são intruduzidas pelo mais frote contra o mais fraco. Mas quando olhamos para o setor energético, vemos que os Europeus são na realidade anões, que impõe sanções ao gigante da energia."

A resolução do Parlamento Europeu estipula que a Hungria "já não é uma plena democracia" e que o Estado de direito se degradou ao ponto de transformar o país "num regime híbrido de autocracia eleitoral".