Orban defende decisão judicial da Polônia que desafia lei da União Europeia

·1 minuto de leitura

BUDAPESTE (Reuters) - A Hungria disse que as instituições da União Europeia devem "respeitar a soberania dos seus estados-membros" após defender uma decisão judicial da Polônia segundo a qual algumas leis da UE são incompatíveis com a constituição polonesa.

O primeiro-ministro da Hungria Viktor Orban assinou um decreto do governo húngaro neste sábado, disse seu chefe de imprensa à agência de notícias estatal MTI, saudando a decisão do Tribunal Constitucional da Polônia, que mergulhou a UE em uma crise existencial.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, disse estar "profundamente preocupada" com a decisão e que a Comissão fará tudo o que estiver ao seu alcance para garantir a primazia do direito da UE.

Os governos populistas de direita na Polônia e na Hungria estão em desacordo com a Comissão sobre questões que vão desde a liberdade da mídia, migração, direitos LGBT e independência judicial.

(Reportagem de Krisztina Than)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos