Organizadores mantêm Europride na Sérvia, apesar da proibição do governo

Representantes da comunidade LGBTQIA+ anunciaram nesta sexta-feira (16) que desfilarão no sábado em Belgrado, apesar de as autoridades sérvias proibirem o festival Europride.

O Europride deveria acontecer entre 12 e 18 de setembro na capital sérvia, com uma semana de eventos, festividades e uma marcha do orgulho programada para o penúltimo dia.

Esta grande manifestação pan-europeia é organizada todo ano desde 1992 em uma cidade diferente do continente desde sua primeira edição em Londres.

"Vamos nos reunir, apesar da proibição", disse à imprensa Goran Miletic, um dos organizadores da parada do orgulho de Belgrado.

Os organizadores concordaram em encurtar o percurso do desfile previsto para o final da tarde e apresentaram uma petição ao governo sérvio com 30 mil assinaturas.

O governo sérvio cancelou o evento alegando que não havia condições para que acontecesse com "total segurança".

Várias organizações civis denunciaram a decisão da Sérvia. Mais de 20 embaixadas em Belgrado, incluindo as dos Estados Unidos, Alemanha, França, Holanda, Canadá e Japão, pediram nesta sexta-feira uma "solução que permita que a marcha Europride seja realizada em condições de segurança, legalidade e paz".

Embora a Sérvia seja um dos poucos países a ter uma primeira-ministra da comunidade LGBTQIA+, seus membros ainda vivem com medo no país.

mbs/ev/meb/eg/aa