Responsável pelo Enem, Inep posta mensagem com erro de português: 'vizualiações'

O presidente do Inep, Alexandre Lopes (Foto: Luis Fortes/MEC)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Perfil do Inep afirmou que número de 'vizualizações' das notas do Enem já havia ultrapassado marca de 2,5 milhões.

  • No último dia 8, ministro da Educação havia se referido a um fato como algo 'imprecionante'.

Mais um erro de português foi registrado por representantes do MEC (Ministério da Educação) – desta vez, pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), cujo perfil no Twitter informou nessa sexta (17) que o número de "vizualizações" das notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) já havia ultrapassado a marca de 2,5 milhões.

Reprodução/Twitter

O Inep é vinculado ao Ministério da Educação. De acordo com o portal G1, após a publicação, a mensagem foi apagada e substituída por uma nova mensagem, com a palavra grafada corretamente, ou seja, “visualizações”.

Leia também

Procurado, o Inep não se manifestou ao portal. Mais cedo, também nessa sexta, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o presidente do Inep, Alexandre Lopes, haviam apresentardo os resultados do Enem de 2019.

Weintraub: autor de 'imprecionante', ‘paralização’ e ‘suspenção’

Quem também escorregou na gramática, recentemente, foi o próprio Weintraub –que publicou uma mensagem também em uma rede social afirmando que um fato era "imprecionante".

Ele redigiu a palavra impressionante de maneira incorreta ao enviar uma mensagem ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Depois da publicação da mensagem, diversos usuários da rede social responderam, informando a ele o erro. A publicação foi apagada posteriormente.

Weintraub também já foi autor de "paralização" e "suspenção". As palavras corretas são paralisação e suspensão.