Orientados pelo Planalto, senadores governistas querem ouvir médicos pró-cloroquina em CPI

·3 minuto de leitura
Senador Ciro Nogueira, na CPI da Covid
Membro da CPI da Covid, senador Ciro Nogueira é da base aliado ao presidente Jair Bolsonaro (foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado
  • Senadores governistas da CPI da Covid querem ouvir especialistas que defendem o tratamento precoce e críticos ao lockdown

  • Requerimentos de convocação foram produzidos pelo Palácio do Planalto

  • Comissão se reúne hoje para votar convocações

Requerimentos apresentados na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, instalada na terça-feira no Senado, indicam que o Palácio do Planalto produziu para senadores governistas o pedido de convocação de cinco especialistas associados à defesa do tratamento precoce ou a críticas ao lockdown.

O jornal O Globo teve acesso às informações que apontam que em sete arquivos protocolados pelos parlamentares Ciro Nogueira (PP-PI) e Jorginho Mello (PL-SC) constam o nome de uma assessora da Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares, área responsável pela articulação política, vinculada à Secretaria de Governo.

Leia também

Em dois dias, foram apresentados à comissão mais de 200 requerimentos.

No campo de criação de arquivo, em sete documentos, constam o nome de Thaís Amaral Moura, funcionária da Secretaria de Governo. Eles foram apresentados por Ciro Nogueira e Jorginho Mello, dois senadores da base de apoio ao governo federal.

Os documentos pedem a convocação de cinco especialistas vinculados a teses defendidas pelo governo federal em relação à pandemia, como a médica Nise Yamaguchi, defensora do uso da cloroquina, medicamento comprovadamente ineficaz contra a covid-19.

O prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues, também é chamado para ser ouvido pela comissão, em um desses documentos de autoria da assessora do Planalto. Bolsonaro chegou a visitar o município neste mês. O prefeito foi um dos que adotou o chamado “tratamento precoce” contra a covid-19.

Presidente Jair Bolsonaro em Chapecó, ao lado do prefeito João Rodrigues
Presidente Jair Bolsonaro, em visita a Chapecó (SC), ao lado do prefeito João Rodrigues (Foto: Alan Santos/PR)

O presidente cita Chapecó como um dos sucessos no combate à pandemia, apesar da cidade ter registrado 100% dos leitos de UTIs lotados no SUS e na rede privada e acumulado mais mortes por 100 mil habitantes do que o país e que Santa Catarina.

Rodrigues é um exemplo a ser seguido, por isso estou indo para lá. Para exatamente não só ver, mas mostrar a todo o Brasil que o vírus é grave, mas seus efeitos têm como ser combatidos. Mais ainda, naquele município, em alguns estados também, o médico tem a liberdade total para trabalhar com o paciente, total. Esse é dever do médico, uma obrigação e direito dele — declarou o presidente antes da viagem.

O Planalto preparou uma lista de médicos que defendem o tratamento precoce para que sejam convidados a depor na CPI da Covid. Segundo integrantes do governo, a ideia é demonstrar que Bolsonaro fazia a defesa do uso de medicamentos sem eficácia com base em especialistas e pesquisadores sobre o tema.

Casa Civil também elaborou documento

Nesta semana, foi vazados um documento elaborado pela Casa Civil para defender o governo de Jair Bolsonaro das acusações de negligência na pandemia. O documento do governo superou o número de acusações que constavam do roteiro sugerido pelo vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Foram apontadas 23 possíveis incriminações, contra 18 do roteiro da oposição. 

Próximos passos

A CPI da Covid se reúne nesta quinta-feira (29) para avaliar o plano apresentado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL). Os senadores devem votar os requerimentos para convocação dos três ex-ministros da Saúde do governo de Jair Bolsonaro e o atual ministro, Marcelo Queiroga.

 Na terça-feira, o relator da CPI da Covid já apresentou nesta terça-feira (27) sugestões para primeiros passos das investigações, incluindo convocação dos quatro últimos ministros da Saúde e pedidos de processos de compra de vacinas. Os senadores da oposição querem começar a apuração pelas falhas na aquisição de vacinas pelo governo federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos