De origem Pataxó, modelo indígena que já foi empacotador estreia nas passarelas internacionais: 'Dar visibilidade ao meu povo'

Aos 22 anos, Noah Alef celebra mais uma conquista em sua carreira. De origem indígena da etnia Pataxó, o modelo fez sua estreia nas passarelas internacionais num desfile da semana de moda em Milão, na Itália. Um feito e tanto para ele, que, anos atrás, trabalhava como empacotador e fazia bicos como ajudante de pintor.

“Todos os dias eu penso o que já passei para chegar até aqui. O quanto durou para chegar até aqui. Fico muito feliz pela minha persistência e sempre colocando fé nesse sonho”, diz o moço, que é natural de Jequié, no interior da Bahia.

Solteiro, ele garante que tinha baixa autoestima no passado. Sentimento que foi superado. Hoje, o modelo, sem falsa modéstia, diz que “se ama”.

Além disso, Noah tomou para si outra missão: dar mais visibilidade aos povos indígenas:

“Quero que a beleza indígena seja mais valorizada! O foco é dar visibilidade ao meu povo através da moda e chamar atenção para os tantos problemas que enfrentamos.”

O moço integra o elenco da mesma agência responsável por nomes como Sasha Meneghel, Carol Trentini e Alessandra Ambrósio. Já protagonizou campanhas de grifes, participou de desfiles e fez até uma participação em "Verdades Secretas 2".

"Meu sonho é poder mostrar meu talento para o mundo, ser reconhecido na moda e, através disso, dar uma casa para minha mãe", conclui ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos