Orion: cápsula que a NASA usará para levar novos astronautas à Lua está pronta

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

A NASA tem planos para levar astronautas outra vez para a Lua em 2024 por meio do programa Artemis — cinco décadas após o fim do programa Apollo, que se encerrou em 1972. Para oficiais da Lockheed Martin, fabricante de produtos aeroespaciais, há desafios únicos nessa empreitada, que só podem ser enfrentados pela nave Orion, da NASA, que terá participação importante nas missões do programa.

A cápsula tripulável deverá comportar quatro astronautas por vez. Assim, a Orion chegará à Lua com o foguete Space Launch System (SLS), o único da NASA capaz de levar a nave, astronautas e cargas em uma só missão para nosso satélite natural. Shelby Hopkins, engenheiro de sistemas sênior no programa Orion, explica que a nave conta com sistemas de suporte à vida e proteção contra radiação, características que a tornam qualificada para missões realizadas além da órbita terrestre baixa, ou seja, no espaço profundo.

Além do módulo da tripulação, a cápsula conta com o módulo de serviços e sistema de aborto de missão (Imagem: Reprodução/NASA)
Além do módulo da tripulação, a cápsula conta com o módulo de serviços e sistema de aborto de missão (Imagem: Reprodução/NASA)

Devido aos desafios do ambiente, será preciso buscar soluções inovadoras: “o espaço profundo tem um ambiente realmente único, e é mais perigoso que a órbita baixa da Terra. Por isso, precisamos considerar fatores como a maior radiação”, disse ele em um painel online. A cápsula Orion já foi lançada em uma missão de testes em 2014 e, na ocasião, o veículo completou duas voltas elípticas em torno da Terra em cerca de quatro horas, sem levar tripulantes a bordo. Durante o teste, a Orion viajou duas vezes através dos cinturões de radiação da Terra e alcançou a altitude de quase 6 mil quilômetros. "Nosso hardware de voo comprovado pode nos ajudar a construir mais rapidamente um habitat para viver e trabalhar na Lua", disse Hopkins. "É motivador pensar em toda a ciência incrível que pode ser feita na Lua nas possíveis explorações".

Atualmente, a Orion está preparada para passar por jornadas tripuladas de 21 dias, mas isso não significa que esse limite seja definitivo: "a Orion pode dar suporte a uma missão de centenas de dias ou até mil dias", comentou Hopkins. "Nós mantemos em mente que as missões do programa Artemis na Lua serão o primeiro passo no caminho para Marte".

No início deste ano, o desenvolvimento da cápsula e do foguete sofreu uma interrupção devido à pandemia do novo coronavírus. No final de 2021, a NASA planeja lançar o foguete SLS e a cápsula Orion em um teste de voo do programa Artemis, ainda sem tripulação, para a Lua. A Orion já foi entregue em março, enquanto o SLS ainda precisa passar por mais alguns testes, que devem ser realizados já em novembro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: