Orlando Silva e presidente da UNE pedem inquérito contra agressor

Orlando Silva fez requerimento de inquérito policial (REUTERS/Ueslei Marcelino)
Orlando Silva fez requerimento de inquérito policial (REUTERS/Ueslei Marcelino)

O Deputado Federal Orlando Silva (PCdoB/SP) entrou nesta quarta-feira com pedido de inquérito policial contra o homem acusado de agressões físicas e verbais a ele e a presidente nacional da UNE (União Nacional dos Estudantes), a estudante de direito Bruna Chaves.

O caso ocorreu na última segunda-feira, quando Silva e Bruna jantavam em um restaurante japonês no centro de São Paulo. O requerimento enviado pelo advogados André Lozano e Fernanda Geraldini, responsáveis pelo caso, à Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) pede que o acusado, ainda não identificado, seja investigado por racismo, difamação, calúnia, injúria e ameaça.

Segundo o rquerimento, Orlando, Bruna jantavam acompanhados de dois amigos e haviam acabado de pagar a conta, quando foram abordados por um indivíduo desconhecido que após a identificação do deputado, teria começado as agressões:

“Vagabundo! O que faz aqui? Aqui não é seu lugar, você não merece estar aqui, nenhum de vocês! São todos vagabundos, corruptos, ladrões!”, teria dito, afirmando em seguida ser apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PP) e filho de militar.

Os advogados afirmam que ele ainda teria agredido as mulheres do grupo e tentado atingi-las com uma cadeira. “Vocês ainda vão se ver comigo! Vou acabar com as suas vidas! Vou socar sua cara de porrada!”.

Um vídeo feito pela presidente da UNE mostra o acusado gritando: “Vocês foderam (sic) com o nosso país, vocês vão pagar por tudo o que vocês fizeram”. A fala é entrecortada por Bruna afirmando que o acusado é agressor de mulher.

Na terça-feira mesmo o deputado fez uma postagem nas redes sociais narrando o ocorrido e pedindo ajuda para identificar o agressor. As pessoas envolvidas no caso – Silva, Bruna, e uma jornalista que os acompanhava – registraram um boletim de ocorrência.

Na ocasião, o deputado federal ainda fez críticas a Jair Bolsonaro. “Precisamos estar em estado de alerta sobre os riscos que Bolsonaro representa. Sei que incomoda muito um homem negro que ocupa espaço de poder e faz combate sem trégua a Bolsonaro e ao bolsonarismo.”

“Mas não vamos nos intimidar, não vamos recuar! Ao contrário! Vamos avançar com mais determinação na luta contra o fascismo”, declarou Orlando Silva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos