Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta releituras de Coldplay e Mundo Bita neste fim de semana, em live no Vivo Rio

Ricardo Ferreira
·2 minuto de leitura
Divulgação

Depois de apresentar releituras aclamadas pelo público de Metallica, Michael Jackson, Pink Floyd, Queen e Los Hermanos, a Orquestra Petrobras Sinfônica faz dois novos concertos populares neste fim de semana, com transmissão ao vivo pela internet, do palco do Vivo Rio, com ingressos a partir de R$ 20 pelo site Eventim. Hoje, às 19h, a Opes celebra o repertório da banda britânica Coldplay. Amanhã, às 16h, é a vez de a orquestra mergulhar no universo do Mundo Bita, projeto infantil queridinho não só das crianças, mas também de mães, pais e afins.

Coldplay é um amor antigo do maestro Felipe Prazeres, que rege os dois espetáculos. A lista de 15 músicas inclui sucessos como “Speed of sound”, “Viva la vida”, “Paradise” e “Clocks”, que abre a noite.

— Eu me amarro em Coldplay. Foram mais de mil as vezes que escutei “Clocks”, permeando vários momentos da minha vida. É uma banda melodicamente muito bacana de orquestrar. Eu sou mais do pop do que do rock, mas quem me viu regendo Metallica, por exemplo, poderia jurar que eu era muito fã — diz o maestro.

O regente é um entusiasta da continuidade do projeto que põe a Opes para tocar repertórios que fogem da música clássica.

— É uma forma de trazer um público que não está acostumado a ouvir orquestra. A gente desmistifica essa coisa de alta cultura.

Além de Coldplay, Felipe Prazeres cultiva uma variedade de sons no Spotify para sua filha de 3 anos. O aplicativo registrou que, este ano, sua música mais ouvida foi a “Dança húngara nº 5”, do compositor alemão Johannes Brahms (1833-1897), justamente uma das que a pequena Nina mais escuta com o pai em casa.

— Também ouço muito com ela “As quatro estações” (de Antonio Vivaldi), “Danúbio Azul” (de Johann Strauss), e sempre coloco o “Quebra-nozes” (de Tchaikovsky) na época do Natal. Mas ela também ouve muito “Bita”... — destaca.

Na apresentação de amanhã, o músico Chaps Melo, criador do Mundo Bita, vai participar do concerto cantando, à distância, por meio do telão do Vivo Rio. Para Felipe Prazeres, é uma oportunidade de pais e filhos apreciarem juntos um repertório infantil orquestrado.

— “Bita” é um fenômeno, a mensagem é muito bonita, ainda mais neste momento que vivemos. São músicas que ouvimos e não tiramos mais da cabeça. A gente se diverte muito tocando — garante.