Os novos perigos do fumo passivo, segundo pesquisa

Gabriela Oliva*

Uma pesquisa da Universidade de Yale mostra que os riscos do fumo passivo não acontecem somente quando se está ao lado de uma pessoa que está fumando. De acordo com o estudo, as propriedades tóxicas do tabaco aderem as paredes, roupas de cama, carpetes e corpo do usuário.  

O chamado fumo de "terceira mão", quando toxinas existentes se depositam em roupas ou outros objetos e ali permanecem, faz com que os produtos químicos potencialmente tóxicos, incluindo a nicotina, podem ser liberados em ambientes onde nunca houve fumo, como o cinema, por exemplo.  

— As pessoas são portadoras substanciais de contaminantes do fumo passivo para outros ambientes —, disse o autor do estudo Drew Gentner, professor de engenharia química e ambiental em Yale. 

O estudo publicado Science Advances identificou que as pessoas podem transmitir nicotina e outros produtos químicos potencialmente tóxicos através de suas roupas após fumar. 

— Essa foi a parte única deste estudo, ficamos surpresos com a grande variedade de compostos orgânicos voláteis perigosos que foram eliminados por gases da plateia - incluindo alguns que são conhecidos por serem conhecidos como cancerígenos em pessoas, como benzeno e formaldeído. — 

Para monitorar a circulação de toxinas em ambientes que não eram conhecidos por serem contaminados por fumantes,  Gentner e alguns de seus alunos de doutorado montaram um experimento em uma sala de cinema que não permitia fumar por mais de 15 anos.  

Nesse processo, um equipamento sofisticado media partículas transportadas pelo ar antes e depois da chegada dos espectadores. Imediatamente, eles viram um enorme aumento nos níveis de produtos químicos perigosos. 

— Quando as pessoas entraram no teatro, as concentrações aumentaram e depois diminuíram com o tempo, mas eles não desapareceram completamente depois que o público foi embora. Em muitos casos, a contaminação persistente foi observada no dia seguinte no teatro desocupado. — resumiu o pesquisador.