Os premiados da edição 2022 do Festival de Cannes

Vários filmes europeus foram distinguidos na edição 2022 do Festival de Cannes.

A Palma de Ouro foi atríbuída a Ruben Östlund pela obra "Triangle of Sadness". Um barco de luxo, um multibilionário russo, um capitão marxista americano, um casal de pessoas influentes obcecadas por dinheiro e uma tripulação filipina: são os ingredientes da obra marcada por um humor ácido e intransigente.

Com este prémio, o realizador sueco junta-se ao clube restrito dos cineastas galardoados duas vezes com uma Palma de Ouro, em Cannes, depois de uma primeira recompensa em 2017 pelo filme "The Square".

"No filme, o iate de luxo com os bilionários e os modelos afunda-se, e eles são levados da praia, para uma ilha deserta. E obviamente, o que acontece é que todas as hierarquias desaparecem. E é muito divertido quando se passa por cima dessas convenções, quando a hierarquia muda", contou Ruben Östlund.

"Triangle of Sadness" deverá chegar às salas de cinema europeias no Outono.

Obra belga "combina várias línguas"

"Close" do realizador belga, Lukas Dhont, foi distinguido com o Grande Prémio do Júri . Com delicadeza e precisão, o filme segue de perto a passagem à adolescência de dois amigos de infância.

"Somos um país único com várias línguas. Para mim, era importante fazer um filme que combina várias línguas para quebrar um pouco os limites. Demasiadas vezes, pensamos de forma limitada como se tivesse de haver uma só língua. Quis ultrapassar os limites e fazer um filme onde várias coisas podem existir umas ao lado das outras", contou o realizador.

"Um filme muito europeu"

2022 foi um bom ano para o cinema da Bélgica. "Le Otto Montagne", outro filme belga, co-produzido com a França e a Itália, recebeu o Prémio do Júri ex-aequo.

A obra conta a história de dois homens que cresceram juntos na paisagem do Vale de Aosta. Enquanto Bruno permanece fiel à montanha, Pietro percorre o mundo. Uma viagem de amor e perda, onde vivem o sentido das origens e do destino, mas acima de tudo, uma amizade sem limites."Foi muito enriquecedor mergulhar no cinema italiano e trabalhar com atores italianos incríveis", afirmou Félix van Groeningen, co-realizador da obra.

"Foi muito enriquecedor mergulhar no cinema italiano, trabalhar com grandes atores italianos incríveis", disse Charlotte Vandermeersch, co-realizadora de "Le Otto Montagne".

Iraniana Zar Amir-Ebrahimi vence prémio de melhor atriz

Zar Amir-Ebrahimi recebeu o prémio de melhor atriz pelo desempenho no filme "Holy Spider", do realizador iraniano-dinamarquês Ali Abbasi. A obra mergulha na sociedade iraniana através dos olhos de uma jornalista que investiga um assassinato em série de prostitutas.

A artista, muito conhecida no Irão, teve de fugir, em 2008, para França e considera que o prémio recebido em Cannes é uma mensagem para o regime iraniano. "É uma mensagem. Eles queriam tirar-me do meu país, queriam que eu não existisse, que não trabalhasse, que não me expusesse, mas, eu estou aqui. Este prémio não deixa de ser uma mensagem forte “, disse Zar Amir-Ebrahimi.

O Festival de Cannes decorreu entre 17 e 28 de maio de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos