Os problemas mais comuns no casamento depois de 10 anos juntos

Kelsey Borresen
Quanto mais longo é o relacionamento, mais importante é analisar como ele está.

Você sobreviveu à chamada crise dos primeiros sete anos de casado. Parabéns! Adoraríamos dizer que agora vai ser tudo uma maravilha, mas infelizmente não é o caso.

Quando você chega à marca dos dez anos de casamento e a fase da lua-de-mel é apenas uma memória distante, certos problemas maritais têm maior chance de aparecer. Pedimos que terapeutas nos contassem quais são as questões mais frequentes quando chega a primeira década do casamento e como lidar com elas.

1. Vocês parecem mais roommates que parceiros românticos

Casais juntos há muito tempo vão te dizer que manter a chama viva exige um certo esforço. Se os dois parceiros não agirem de forma deliberada para manter acesa a conexão romântica – seja com programas a dois, gestos de carinho ou terapia de casal ―, o afastamento pode ser inevitável.

“Depois de uma década juntos, o risco de virar roommate aumenta, pois os parceiros podem perder o foco um no outro e concentrar-se mais na vida cotidiana”, diz Kurt Smith, terapeuta especializado em aconselhar maridos. “Casais podem facilmente se transformar em parcerias que gerenciam uma vida ou uma família, não parcerias românticas.”


2. A vida a dois fica entediante

No casamento, não é realista achar que todo dia será uma página de um conto de fadas. Dito isso, você não deve simplesmente se resignar a uma vida bleh. O tédio é sinal de que você e seu parceiro estão tomando um ao outro – e o relacionamento ― como algo certo, diz a terapeuta Tina Tessina.

“Talvez suas atividades tenham virado pura rotina ou vocês evitam encarar os problemas”, afirma ela. “Combata esse tédio correndo os riscos necessários – finalmente tendo aquela conversa sobre sexo, idade ou os sogros, por exemplo. E sugira mudanças na rotina.”

Se você acha que sua rotina está, bem, rotineira demais, a solução é chacoalhar as coisas.

“Você só precisa experimentar algo diferente”, diz Tessina. “Pode ser o que for, desde que...

Continue a ler no HuffPost