Osasco, na Grande SP, tem primeiro dia de uso de máscara obrigatório

TAYGUARA RIBEIRO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Poucas pessoas eram vistas sem máscaras, na tarde desta quarta-feira (29), na região central de Osasco (Grande SP), no primeiro dia após a Prefeitura da cidade, gestão Rogério Lins (PODE), publicar um decreto que obriga a população a utilizar o material como forma de prevenção contra o contágio pelo novo coronavírus.

Na rua Antônio Agú e no calçadão comercial, que fica ao lado, era raro observar alguém sem uma máscara de pano ou descartável. Na mesma região, quem saía da estação Osasco da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) recebia uma máscara reutilizável que era distribuída por funcionários municipais.

"Se é para se defender contra essa epidemia tem que usar sim, eu acho uma boa medida", afirma a aposentada Severina Gonçalves Ferreira, 70 anos.

Opinião parecida tem Benedito Hercules Ferreira, 52, operador de máquinas. "Às vezes passa alguém que espirra sem querer e a máscara pode ajudar nesse ponto. Foi uma boa medida", conta.

Uma das poucas pessoas que vistas pela reportagem sem máscara foi o salgadeiro Renê Moreira, 30 anos. "Eu acho uma boa iniciativa. Eu estou com a minha máscara aqui no bolso, tirei porque estou vindo lá de Campinas e ela incomoda um pouco, mas acho uma boa medida."

De acordo com a determinação da prefeitura, o uso das máscaras passa a ser obrigatório para embarque em todos os serviços de transporte público ou privado na cidade de Osasco, inclusive, podendo o motorista recusar o embarque do passageiro que esteja sem o item.

O governo do estado de São Paulo, gestão João Doria (PSDB), já fez a recomendação para o uso de máscaras ao sair às ruas e obrigatoriedade do uso em transporte público e de aplicativos.

GUARULHOS

Outra cidade da Grande São Paulo que está adotando medidas similares é Guarulhos. Segundo a gestão Gustavo Henric Costa, o Guti, (PSB), a partir do dia 3 de maio será obrigatório para o embarque nos ônibus municipais o uso de máscaras.

"As empresas deverão, através do motorista, impedir o embarque. Caso a fiscalização flagre o contrário, as empresas poderão ser multadas", afirma nota da gestão guarulhense.

Ainda segundo o texto, "por enquanto, nos terminais municipais existe uma orientação aos passageiros e entrega de máscaras para aqueles que chegam sem o equipamento e é orientado para que traga máscaras nos dias seguintes, conforme decreto municipal publicado no dia 21 de abril".

A reportagem esteve em dois terminais de ônibus da cidade -- Cecap e Taboão. Embora ambos sejam de administração estadual, no local existem diversas linhas municipais. A maioria das pessoas que estavam nos locais, na tarde desta quarta-feira, já utilizavam máscaras.