Oscar 2021: Conheça os indicados a Melhor Ator

Natália Bridi
·8 minuto de leitura

A seleção de indicados a Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante traz papéis diversos, de figuras grandiloquentes e personalidades históricas à traidores e homens que precisam lidar com a fragilidade humana. 

A seguir falo mais sobre cada um das candidatos a uma estatueta no prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas deste ano:

Melhor Ator

Riz Ahmed - ("O Som do Silêncio")

Indicações anteriores ao Oscar: 0

Para se preparar para o papel do baterista que perde a audição e precisa se redescobrir, Riz Ahmed passou oito meses em preparação, dividindo seu tempo entre lições de bateria e linguagem de sinais, algumas horas com seu personal trainer e outras com seu técnico de atuação. Esse tipo de comprometimento e dedicação era exatamente o que o diretor Darius Marder procurava depois de passar 13 anos em busca do seu protagonista. 

O processo também envolveu que o ator abrisse mão de um elemento que julgava essencial: assistir as filmagens do dia para julgar a sua performance, o que foi proibido pelo diretor. O resultado é uma atuação de entrega, onde Ahmed segue seus instintos para dar vida a um personagem que vai muito além do clichê da superação das adversidades.

Chadwick Boseman - ("A Voz Suprema do Blues")

Nominees for the 93rd Annual Academy Awards (Oscars) - ceremony to be held Sunday, April 25th, 2021 - Chadwick Boseman nominated for Best Actor In A Leading Role for
Chadwick Boseman. Foto: zz/KGC-11/STAR MAX/IPx

Indicações anteriores ao Oscar: 0

A primeira indicação de Chadwick Boseman veio com o seu último filme. Morto em 2020, aos 43 anos, o ator interpreta o enérgico músico Levee em A Voz Suprema do Blues, uma performance que é favorita para levar a estatueta de Melhor Ator. O papel se encaixa perfeitamente no carisma do astro, que é lembrado pelos colegas de elenco por sua humildade e dedicação. 

Mesmo sendo reconhecido mundialmente como o Pantera Negra da Marvel, o ator participou dos encontros com os outros membros da banda do filme, formando na preparação para as filmagens o entrosamento que se vê na tela.

Anthony Hopkins - ("Meu Pai")

FILE - In this Feb. 15, 2011 file photo, Anthony Hopkins smiles while posing for photos prior to the premiere of his new film
Anthony Hopkins. Foto: AP Photo/Alexandre Meneghini, File

Indicações anteriores ao Oscar: 5, sendo 3 como ator principal (O Silêncio dos Inocentes, Vestígios do Dia e Nixon) e 2 como ator coadjuvante (Amistad e Dois Papas)

Estatuetas que levou para casa: 1 (O Silêncio dos Inocentes)

Ao adaptar a peça que escrevera relembrando a decadência mental da sua avó, o francês Florian Zeller já tinha um nome em mente: Anthony Hopkins. Tanto que mudou o nome do seu protagonista de Andre para Anthony na esperança de conquistar a lenda britânica. Sem conhecer qualquer grande nome em Hollywood, o cineasta enviou o roteiro para o agente de Hopkins e, para sua surpresa, recebeu um convite para uma reunião. 

O resultado é uma das melhores atuações da carreira de Hopkins, que se relaciona profundamente e leva o espectador junto da confusão do seu personagem. Um trabalho primoroso que o ator, aos 83 anos, fala com modéstia, dizendo que não foi tão trabalhoso, sendo apenas uma questão de se conectar com a cena, não de analisar ou buscar sentimentos.

Gary Oldman - ("Mank")

Actor Gary Oldman poses for photographers at the photo call for the film 'The Laundromat' at the 76th edition of the Venice Film Festival in Venice, Italy, Sunday, Sept. 1, 2019. (Photo by Joel C Ryan/Invision/AP)
Gary Oldman. Foto: Joel C Ryan/Invision/AP

Indicações anteriores ao Oscar: 2 (O Espião Que Sabia Demais e O Destino de uma Nação)

Estatuetas que levou para casa: 1 (O Destino de uma Nação)

Oldman se voltou para a pesquisa e para as suas próprias memórias para dar vida ao roteirista Herman J. Mankiewicz durante o processo de criação de Cidadão Kane. Da pesquisa vieram os fatos, nem sempre abordados no roteiro escrito por Jack Fincher, e das memórias a sua história com o alcoolismo, doença que dominava Mankiewicz em uma época em que sequer era considerado uma doença. 

Ao contrário de O Destino de uma Nação, quando o ator usou maquiagem e enchimentos para recriar a figura de Winston Churchill, Oldman contou apenas com a própria figura para compor Mankiewicz, recebendo permissão de David Fincher para engordar alguns quilos, mas sem qualquer outro artifício. O ator também encarou de frente o perfeccionismo do cineasta, conhecido por fazer centenas de tomadas da mesma cena.

Steven Yeun - ("Minari")

Nominees for the 93rd Annual Academy Awards (Oscars) - ceremony to be held Sunday, April 25th, 2021 - Steven Yeun nominated for Best Actor In A Leading Role for
Steven Yeun. Foto: zz/John Nacion/STAR MAX/IPx 2018

Indicações anteriores ao Oscar: 0

Conhecido do grande público como o Glenn de The Walking Dead, Steven Yeun tem trilhado uma interessante carreira entre os EUA e a Coréia do Sul desde a sua saída da série. Quando viu o roteiro de Minari, Yeun sabia que havia encontrado outro papel importante para expressar seu talento na figura do patriarca que troca estabilidade pela chance de viver o sonho americano, mas o diretor Lee Isaac Chung inicialmente resistiu à ideia. 

Os dois são parentes distantes e Chung não queria que o trabalho afetasse a relação familiar. Depois de apenas uma reunião, porém, ao ver a conexão direta de Yeun, também filho de sul-coreanos que buscavam uma vida melhor na América do Norte, o diretor percebeu que havia encontrado o protagonista perfeito, a sua versão do James Dean que havia inspirado seu pai a buscar seus sonhos nos EUA. “Queria tocar em algo tão delicado e sensível quanto a minha cultura ou a minha própria história de certa forma. Queria ter certeza de que estava tendo a honra de não romantizar ou infantilizar isso”, conta o ator.

Melhor Ator Coadjuvante

Sacha Baron Cohen - ("Os 7 de Chicago")

Sacha Baron Cohen arrives at the 77th annual Golden Globe Awards at the Beverly Hilton Hotel on Sunday, Jan. 5, 2020, in Beverly Hills, Calif. (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP)
Sacha Baron Cohen. Foto: Jordan Strauss/Invision/AP

Indicações anteriores ao Oscar: 1, pelo roteiro de Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América (2006).

Conhecido por seu trabalho com improviso e comédia, mais uma vez reconhecido com uma indicação de Melhor Roteiro Adaptado pela continuação Fita de Cinema Seguinte de Borat (2020), o trabalho de Sacha Baron Cohen como ator também foi notado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas em 2021. Escalado por Aaron Sorkin para viver o ativista Abbie Hoffman em Os 7 de Chicago, o ator conta que passou a brincar com o jeito sério de Sorkin, não muito aberto a improvisos. “Passei provavelmente dois meses sugerindo falas alternativas porque li tudo o que Abbie Hoffman havia escrito. Aaron era gentil o suficiente para me agradar e ouvir. Cada vez ele dizia, ‘Obrigado, mas não’”. Ainda assim, o ator considera a experiência libertadora. Ao invés de tentar mudar as falas, começou a experimentar com variações na sua entonação, mas sempre garantindo que a versão que Sorkin queria estivesse no primeiro take.

Daniel Kaluuya - ("Judas e o Messias Negro")

Daniel Kaluuya poses for photographers upon arrival at the Bafta Film Awards, in central London, Sunday, Feb. 2 2020. (Photo by Joel C Ryan/Invision/AP)
Daniel Kaluuya. Foto: Joel C Ryan/Invision/AP)

Indicações anteriores ao Oscar: 1 (Corra!)

Daniel Kaluuya foi apresentado à história de Judas e o Messias Negro enquanto participava das refilmagens de Pantera Negra. Ryan e Zinzi Coogler, produtores do filme que conta a história do líder dos Panteras Negras assassinado pelo FBI, viram na figura do ator britânico a presença necessária para captar o carisma de Fred Hampton. Para se preparar, Kaluuya trabalhou com um técnico de dialeto para acertar o estilo de fala do ativista e também com um instrutor de ópera para aprender como usar seu diafragma para enfrentar os discursos contundentes do seu personagem pelas 12 horas de filmagem diárias. Acima de tudo, Kaluuya conta que sua dedicação ao papel visava servir a história de Hampton e do Partido dos Panteras Negras. “Ele foi silenciado, apagado e assassinado, física e culturalmente. Essa é uma oportunidade de colocá-lo no seu lugar de direito”.

Lakeith Stanfield - ("Judas e o Messias Negro")

Lakeith Stanfield arrives at the Women in Film Annual Gala on Wednesday, June 12, 2019, at the Beverly Hilton Hotel in Beverly Hills, Calif. (Photo by Chris Pizzello/Invision/AP)
Lakeith Stanfield. Foto: Chris Pizzello/Invision/AP

Indicações anteriores ao Oscar: 0

Enquanto Daniel Kaluuya vive o Messias, cabe a Lakeith Stanfield ser o Judas na história sobre a conspiração que levou à morte de Fred Hampton. O ator interpreta William O’Neal, preso ainda adolecente por se passar por um agente do FBI e coagido a se tornar um informante dentro do Partido dos Panteras Negras. A experiência de encarnar um traidor foi tão intensa para o ator que ele conta ter procurado um terapeuta depois das filmagens. “Com alguém como Daniel [Kaluuya], que respeito como artista e ser humano, interpretando Fred Hampton, pareceu que realmente eu o estava envenenando”.

Leslie Odom Jr. - ("Uma Noite em Miami")

Leslie Odom Jr. presents the Emmy for Outstanding Short Form Comedy Or Drama Series during the fourth night of the 2020 Creative Arts Emmy Awards, streamed live on Emmys.com on Thursday, Sept. 17, 2020. (Invision for the Television Academy/AP Images)
Leslie Odom Jr. Foto: Television Academy/AP Images

Indicações anteriores ao Oscar: 0

Conhecido como o Aaron Burr da montagem original de Hamilton, Leslie Odom Jr. já foi premiado com um Grammy e um Tony e no Oscar 2021 também concorre na categoria Melhor Canção por sua interpretação de "Speak Now". Para viver o cantor Sam Cooke na adaptação da peça Uma Noite em Miami dirigida por Regina King sobre um encontro entre Cooke, Cassius Clay, Malcolm X e Jim Brown, o ator precisou lidar com o baixo orçamento e o pouco tempo de preparação, se voltando para as gravações de Cooke para compor a sua interpretação. “Toda a vida dele o preparou para escrever e cantar uma música como ‘A Change Is Gonna Come’. Estabeleci o compromisso de estudar aquelas gravações. Elas continham tudo o que eu precisava para construir quem ele poderia ser naquele quarto de hotel”.

Paul Raci - ("O Som do Silêncio")

Paul Raci, an Oscar nominee for best supporting actor for his performance in
Paul Raci. Foto: AP Photo/Chris Pizzello

Indicações anteriores ao Oscar: 0

Veterano do Vietnã, vocalista de uma banda de tributo a Black Sabbath, filho de pais surdos e fluente em linguagem de sinais, Paul Raci é perfeito para o papel de Joe, o líder de uma comunidade de viciados surdos que acolhe Ruben, o baterista vivido por Riz Ahmed que precisa aprender a lidar com sua perda de audição. Por não ser um nome conhecido, porém, com apenas algumas pequenas participações em séries de TV, o papel perfeito quase passou batido, não fosse a insistência da sua agente, que implorou para que vissem seu teste. Funcionou. Cinco minutos depois o diretor Darius Marder ligou querendo conhecer Raci. No filme, o ator não desperdiça a oportunidade e é essencial para a evolução do personagem de Ahmed, com os dois compartilhando uma das cenas mais emocionantes do longa.