Oscar 2022: 18 curiosidades da premiação

Kristen Stewart no evento dos indicados ao Oscar
Nenhum dos filmes estrelados pelas indicadas a melhor atriz, incluindo Kristen Stewart, está concorrendo ao prêmio principal de melhor filme

Hollywood teve um ano daqueles. O Homem-Aranha salvou as bilheterias, Scarlett Johansson processou a Disney, Daniel Craig se despediu do papel de James Bond e todo mundo falou sobre Bruno.

A cerimônia do Oscar neste domingo (27/03), que marca o ápice da temporada de premiações, reflete uma indústria que ainda está passando por grandes mudanças.

Indicados como Duna, Amor, Sublime Amor, King Richard: Criando Campeãs e Belfast, levaram, em diferentes níveis, o público de volta aos cinemas após longos períodos de portas fechadas.

Esses filmes concorrem lado a lado no Oscar com Não Olhe Para Cima, CODA - No Ritmo do Coração, Tick, Tick… Boom! e Being The Ricardos, que tiveram audiências consideráveis ​​nas plataformas de streaming.

A seguir, apresentamos 18 pequenas curiosidades sobre a premiação deste ano:

short presentational grey line
short presentational grey line

1. Judi Dench pode bater um recorde no Oscar

Dame Judi Dench
Dame Judi Dench

A veterana estrela britânica pode se tornar a vencedora mais velha de todos os tempos em uma categoria de atuação, depois de ser indicada por sua performance em Belfast, de Kenneth Branagh.

Judi Dench tem 87 anos, quatro anos a mais do que o atual recordista, Anthony Hopkins, tinha quando recebeu a estatueta por Meu Pai em 2021.

No entanto, ela não é a indicada mais velha na categoria de atuação — Christopher Plummer tinha 88 anos quando foi indicado por Todo o Dinheiro do Mundo em 2018.

2. Drive My Car é o indicado a melhor filme mais longo deste ano, com impressionantes 179 minutos

Mas não é o filme mais longo da história do Oscar (por mais que possa parecer quando você está assistindo).

O vencedor de melhor filme mais longo é E o Vento Levou, com 238 minutos.

Mas o filme mais longo a ganhar um Oscar foi Guerra e Paz, com épicos 414 minutos — quase sete horas —, em 1968, quando levou o prêmio de melhor filme estrangeiro.

3. Bradley Cooper pode ser a única pessoa que realmente perdeu peso durante o lockdown

Mas só porque era necessário para seu papel no soberbo O Beco do Pesadelo, de Guillermo del Toro.

Bradley Cooper
Bradley Cooper aparece em duas produções indicadas a melhor filme — 'Licorice Pizza' e 'O Beco do Pesadelo'

O filme teve que suspender a produção no meio das filmagens devido à pandemia de covid-19. Mas isso significava que Cooper poderia usar esse tempo para perder ainda mais peso.

O ator deveria interpretar uma versão mais jovem de seu personagem nas primeiras cenas do filme, que ainda não haviam sido filmadas. Assim, a pausa nas filmagens proporcionou a oportunidade perfeita para mudar sua aparência.

Ao mesmo tempo, a coprotagonista Rooney Mara estava no início da gravidez quando as filmagens foram interrompidas. O intervalo de seis meses significava que ela poderia ter o bebê e retornar ao seu papel sem que os espectadores percebessem qualquer diferença.

4. A Academia perdeu o gosto por músicos

Três estrelas pop chegaram a ser consideradas na corrida de melhor atriz neste ano — Lady Gaga (por Casa Gucci), Jennifer Hudson (Respect) e Alana Haim (Licorice Pizza).

Mas apesar de indicações em outras cerimônias de premiação de Hollywood, e de Gaga e Hudson terem sido reconhecidas pela Academia no passado, nenhuma das três chegou a entrar na categoria de melhor atriz do Oscar neste ano.

5. Will Smith estava ansioso para conseguir a aprovação de Venus e Serena Williams

Will Smith
Will Smith

O ator provavelmente vai ganhar seu primeiro Oscar pela atuação em King Richard: Criando Campeãs, que conta a história de um pai que treinou as duas filhas para se tornarem lendas do tênis.

"Fui até a família e disse: 'Quero contar esta história'", contou Smith a Graham Norton, apresentador de um programa de entrevistas da BBC.

"E Venus e Serena disseram: 'OK, vamos ver você durante o processo, mas teremos que ver o filme antes de decidirmos se colocamos nossos nomes ou não nele'."

O receio delas era compreensível, dada a tendência de Hollywood de irritar ou chatear os personagens da vida real dos filmes biográficos.

"Recebi então uma ligação dizendo que Venus e Serena estavam indo para o cinema, e elas entraram e viram o filme, e foram literalmente as duas piores horas da minha vida esperando até que elas saíssem", lembrou Smith.

Felizmente, elas "amaram o filme", ​​segundo ele.

6. Campion e Spielberg se preparam para uma revanche

Jane Campion
Jane Campion

Jane Campion é a primeira mulher a ser indicada duas vezes ao prêmio de melhor diretora — ela já havia recebido uma indicação em 1994 pelo filme O Piano.

Naquele ano, perdeu para Steven Spielberg, com A Lista de Schindler. Coincidentemente, ele está concorrendo novamente contra ela neste ano com Amor, Sublime Amor.

Campion tem uma chance muito maior desta vez, e sua vitória marcaria a primeira vez que uma mulher ganhou o prêmio de melhor diretora em dois anos consecutivos, após Chloé Zhao ter triunfado no ano passado com Nomadland.

7. Conselho aos diretores: contrate Cate Blanchett se quiser uma indicação ao Oscar

Blanchett é agora a atriz com mais atuações em produções indicadas a melhor filme.

Ela participou de nove, incluindo Elizabeth, Babel, O Aviador, O Curioso Caso de Benjamin Button e três filmes do Senhor dos Anéis.

Neste ano, ela aparece em dois candidatos a melhor filme — Não Olhe Para Cima e O Beco do Pesadelo. A recordista anterior era Olivia de Havilland, com oito.

8. Nunca subestime Penélope Cruz

Javier Bardem e Penélope Cruz
Javier Bardem e a mulher, Penélope Cruz, são indicados a prêmios de atuação por filmes diferentes

Ela foi uma adição inesperada, mas bem-vinda, à corrida de melhor atriz deste ano, por sua atuação em Mães Paralelas, de Pedro Almodóvar.

Cruz não foi indicada em praticamente nenhuma das grandes cerimônias de premiação que antecedem o Oscar — incluindo o Globo de Ouro, Critics Choice e Screen Actors Guild. E não entrou sequer na lista de considerados para o Bafta.

Ela foi a primeira atriz nascida na Espanha a ganhar um Oscar, por Vicky Cristina Barcelona, ​​de 2008. Mas se vencer desta vez, será por um papel em espanhol.

9. Filmes em preto e branco estão na moda

Mais diretores estão optando por dispensar aborrecimentos, como cores, ao fazer filmes.

Denzel Washington
'A Tragédia de Macbeth', com Denzel Washington, está entre os filmes em preto e branco na corrida deste ano

Quatro grandes filmes na corrida da temporada de premiações deste ano são em preto e branco: Belfast, Identidade, C'Mon C'Mon e A Tragédia de Macbeth.

Del Toro também lançou uma versão em preto e branco de O Beco do Pesadelo, embora a versão colorida regular seja indicada para melhor filme.

10. 'Amor, Sublime Amor' pode bater um monte de recordes

Respire fundo.

A adaptação de Spielberg pode se tornar o primeiro remake de um filme que levou o Oscar de melhor filme a ganhar o prêmio de melhor filme. Nenhum remake de um vencedor de melhor filme foi indicado antes.

Na verdade, apenas um remake foi premiado como melhor filme: Os Infiltrados (2006), de Martin Scorsese, que foi adaptado de Infernal Affairs, thriller policial de Hong Kong não indicado.

A vitória como melhor filme também faria de Amor, Sublime Amor o primeiro musical a vencer em quase duas décadas — o último foi Chicago, de 2003 (embora La La Land quase tenha vencido em 2017, antes de esclarecerem que o vencedor era, na verdade, Moonlight: Sob a Luz do Luar).

Ariana DeBose
Ariana DeBose deve ganhar o prêmio de melhor atriz coadjuvante pelo papel originalmente interpretado por Rita Moreno, que também ganhou um Oscar

Mas há uma forte possibilidade de Amor, Sublime Amor não vencer. Nos últimos 50 anos, apenas uma produção — Titanic — ganhou o prêmio de melhor filme sem uma indicação a melhor roteiro, categoria na qual o remake de Spielberg não está concorrendo.

Enquanto isso, a indicada a melhor atriz coadjuvante Ariana DeBose pode ganhar o mesmo prêmio e pelo mesmo papel que sua antecessora Rita Moreno, que levou um Oscar pela versão de 1961. DeBose também seria a primeira atriz negra abertamente queer a ganhar um Oscar.

11. O Oscar deste ano é um assunto de família

Há dois casais indicados nas categorias de atuação. Javier Bardem e Penélope Cruz, ambos indicados ao principal prêmio de atuação, estão casados ​​desde 2010.

Kirsten Dunst e Jesse Plemons são indicados, por sua vez, na categoria de coadjuvantes. Eles estão noivos desde 2017 e têm dois filhos juntos.

E isso sem contar com Cyrano. Seu diretor, Joe Wright, tem um filho com a protagonista, Haley Bennett, enquanto o astro do filme, Peter Dinklage, é casado com a escritora, Erica Schmidt.

12. Troy Kotsur deve, em parte, seu favoritismo a uma cadeira mal projetada

Troy Kotsur
Troy Kotsur interpreta o pai surdo de uma jovem que quer ser cantora em 'CODA - No Ritmo do Coração', da Apple TV

Ele pode se tornar o segundo ator surdo a ganhar um Oscar, depois de Marlee Matlin, em 1986, por seu papel em Filhos do Silêncio. A dupla agora interpreta um casal em CODA - No Ritmo do Coração, da Apple TV.

Kotsur não foi inicialmente considerado um favorito para melhor ator coadjuvante, mas começou a despontar na reta final e levou vários prêmios que antecederam o Oscar.

Além de apresentar uma atuação fantástica em CODA - No Ritmo do Coração, Kotsur tem divertido os espectadores das premiações durante esta temporada, literalmente caindo da cadeira quando sua indicação ao Bafta foi anunciada.

(Se este momento glorioso foi encenado, então, francamente, ele merece ganhar ainda mais.)

13. A Academia gosta mais de Hamaguchi do que de Casa Gucci

Drive My Car é o 14º filme de língua não inglesa a receber uma indicação de melhor filme — e o quarto em quatro anos, depois de Roma, Parasita e Minari: Em Busca da Felicidade. Também arrematou uma indicação de melhor diretor para Ryusuke Hamaguchi.

Drive My Car (que é japonês) e o excelente A Pior Pessoa do Mundo (norueguês) contam com indicações para o prêmio de melhor roteiro, enquanto Penélope Cruz foi indicada como melhor atriz por sua atuação em Mães Paralelas, de língua espanhola.

14. Andrew Garfield uma vez quase morreu engasgado com um bife

Andrew Garfield
Andrew Garfield

O astro britânico foi indicado ao prêmio de melhor ator por interpretar o falecido Jonathan Larson em Tick Tick... Boom!. Mas ele quase não viveu para aparecer no filme, depois de quase engasgar com um bife em 2018.

"Havia três níveis de consciência em andamento", ele contou à Vanity Fair. "Um era, eu quero aproveitar meu bife. O segundo nível era, puxa vida, acho que posso estar correndo o risco de me asfixiar aqui."

Mas sua terceira reação provou sua dedicação à atuação:

"Eu pensei, esteja ciente de seu comportamento, do que você está fazendo, como está se sentindo, do calor em seu corpo, lembre-se dos cheiros — porque talvez você precise engasgar na tela ou no palco em algum momento. Era aquele nível de insanidade de, se você sobreviver, você pode usar isso em uma performance."

15. 'Flee - A Fuga' é a primeira produção a receber indicações para melhor filme de animação, melhor documentário e melhor filme estrangeiro

Esta tríade incomum se deve à natureza do filme — a maioria dos documentários não são, por natureza, animados.

No entanto, provou ser um tratamento útil para Flee - A Fuga, que narra a história de um refugiado afegão gay. Animar significava que sua identidade real poderia ser mantida oculta e também resolvia o problema de como retratar eventos de seu passado.

Jessica Chastain
Jessica Chastain espera ganhar seu primeiro Oscar

16. Não há sobreposição neste ano entre as categorias de melhor atriz e melhor filme

Jessica Chastain, Nicole Kidman, Olivia Colman, Kristen Stewart e Penélope Cruz foram todas indicadas ao prêmio de melhor atriz por atuações em produções que não foram indicadas a melhor filme.

Estas duas categorias raramente são sincronizadas. A vitória de Frances McDormand por seu papel em Nomadland em 2021 foi a primeira vez em 16 anos que a vencedora do prêmio de melhor atriz estrelou a produção ganhadora de melhor filme.

17. Há uma coincidência louca na categoria de coadjuvantes

Anna Paquin se tornou a segunda vencedora mais jovem do prêmio de melhor atriz coadjuvante em 1994 por sua atuação em O Piano, dirigido por Jane Campion.

Neste ano, Kodi Smit-McPhee pode se tornar o segundo mais jovem vencedor do prêmio de melhor ator coadjuvante por Ataque dos Cães, dirigido por... Jane Campion.

Kodi Smit-McPhee
Kodi Smit-McPhee foi indicado a melhor ator coadjuvante por 'Ataque dos Cães', de Jane Campion

18. Netflix ainda não ganhou o prêmio de melhor filme

Deus sabe como tentaram. Roma, Mank e O Irlandês foram todos candidatos muito fortes nos últimos anos.

Mas Ataque dos Cães pode ser a melhor aposta da Netflix até agora. Se isso acontecer, será o primeiro vencedor na categoria de melhor filme lançado por um serviço de streaming.

Curiosamente, seu concorrente mais forte é CODA - No Ritmo do Coração. Como foi um lançamento da Apple TV +, poderemos estar diante de um vencedor histórico de melhor filme de qualquer maneira.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!