Outback, Madero e Coco Bambu: os restaurantes que aparecem no cartão corporativo de Bolsonaro

Entre as despesas com o catão corporativo da Presidência da República durante a gestão de Jair Bolsonaro divulgados nesta quita-feria, são frequentes gastos com restaurantes e redes de 'fast food'. Estabelecimentos como o Outback, Madero e Coco Bambu são alguns dos que maram presença no extrato.

Leia mais: Sorvete, McDonald's e hotéis: gastos de R$ 27 milhões no cartão corporativo de Bolsonaro perdem sigilo

Saiba: PGR pede a abertura de mais três inquéritos para apurar invasões em Brasília e quer descobrir mentores intelectuais

A rede de restaurantes com temática australiana Outback parece ser uma das preferidas do chefe do Executivo, já que aparece 19 vezes nos registros, totalizando gastos no valor de R$ 5701,19 mil. O ex-presidente também usou o cartão corporativo repetidas vezes no restaurante Madero, com gastos de aproximadamente R$ 2,2 mil. Ao todo, o presidente usou o benefício 17 vezes nos estabelecimentos da rede. O dono do restaurante, Junior Durski, era um ferrenho apoiador de Bolsonaro.

Já o Coco Bambu, do empresário Afranio Barreira, também eleitor de Jair Bolsonaro e que chegou a ser alvo de críticas de Ciro Gomes durante o período eleitoral, que chamou o empreendedor de 'vagabundo', não foi um das principais escolhas do ex-presidente. O estabelecimento só consta em duas compras, com gastos no valor de R$ R$ 133,60 e R$ 521, totalizando R$ 654,60.

Bolsonaro também gastou o cartão corporativo com lanches. Na rede de fast food Mc Donald's, o político o montante foi de R$ 805,8, com sete compras. Uma delas chama atenção pelo valor, já que em 3 de julho de 2022 a conta foi de R$ 392. Já a rede de sanduíches Burguer King não é contemplada nas escolhas do presidente. O restaurante só aparece uma vez no registro, no dia 31 de julho de 2020, com gastos no valor de R$ 145,20.

O ex-presidente também comprou lanches na rede Habib's, que consta em seis despesas no valor total de aproximadamente R$ 667. Em apenas uma das compras, no fia 20 de novembro de 2022, o gasto foi de R$ 273,88.

Outro item que aparece nas escolhas de alimentação de Bolsonaro é pizza. Só na empresa Pizza Hut o ex-chefe do Executivo gastou cerca de R$ 5,4 mil. Ele também gastou o cartão com doces, e na loja de tortas e bolos Lecadô, os gastos foram de aproximadamente R$ 126 mil, Ao todo, foram sete compras, com a mais alta no valor de 19 mil, no dia 15 de fevereiro de 2020.

O valor total registrado do cartão corporativo foi de R$ 27,6 milhões nos quatro anos de governo de Bolsonaro, incluindo despesas com sorvetes (R$ 8,6 mil) e hospedagens (R$ 10,5 milhões, contando com alimentação).