Overdose de chocolate: Os sinais de que você exagerou nos ovos de Páscoa

Luiza Belloni

A Páscoa é um dos feriado favoritos do brasileiro. Além dos fartos almoços, a tradição de ganhar ovos de chocolate é uma saborosa tentação para chocólatras de plantão. 

Pesquisas apontam que chocolate ajuda a reduzir o estresse e melhora a memória. Porém, quando consumido em excesso, ele pode causar mal-estar e efeitos colaterais indesejados.

De acordo com o médico nutrólogo Durval Ribas Filho, o maior problema relacionado à data é o hábito de comer muito chocolate de uma vez só. O ideal, segundo o médico, é consumir com moderação e não acabar com o ovo de chocolate na mesma semana (ou, em alguns casos, no mesmo dia).

“A ingestão do chocolate deve ser feita com moderação, não só agora, na Páscoa, mas em outras épocas do ano também”, afirma. 

O consumo exagerado pode causar sintomas comuns como náuseas, refluxo, diarreia, dor no estômago e dor de cabeça, além de irritabilidade. Crianças e idosos são as faixas etárias mais suscetíveis a esses sintomas. 

O chocolate pode desencadear ainda alguns processos alérgicos quando consumido em grandes quantidades. “Reações comuns derivadas do alto consumo são coceiras, irritação na pele e até falta de sono”, alerta. 

Apesar de parecer inofensivo (além de delicioso), o chocolate é rico em gordura, açúcar e calorias: cada 100 gramas de um chocolate ao leite, por exemplo, pode ter 556 calorias e 32 gramas de gordura. E, cá entre nós: não é difícil comer 100 gramas em apenas uma tarde, não é? 

Outra questão atrelada ao consumo exagerado é a vontade irresistível de continuar comendo doces. Isso ocorre porque o chocolate (leia-se: o açúcar nele) aumenta rapidamente a glicose no sangue. Para trabalhar todo este açúcar que ingerimos, nosso corpo produz insulina, o hormônio que transforma o açúcar do sangue em energia.

Quando comemos o chocolate muito doce, por exemplo, nosso corpo produz muita energia em pouco tempo, um processo conhecido como pico...

Continue a ler no HuffPost