'Ovnis' no Sul: FAB nega ter havido qualquer registro de ocorrência no céu do RS no fim de semana; veja vídeo

Após toda a repercussão em torno de um possível objeto voador não identificado no espaço aéreo do Rio Grande do Sul, notado por dois pilotos de um voo que sobrevoava o céu porto-alegrense, e também registrado em vídeo por câmeras da Central de Controle do Aeroporto Salgado Filho, no último sábado (5), o mistério continua. A Força Aérea Brasileira (FAB), questionada sobre o "ovni", afirmou que não houve "nenhum tipo de intercorrência aeronáutica" no estado, e que "nenhum objeto desconhecido foi identificado pelos radares de defesa aérea", ao contrário do que relataram os profissionais.

Morte na Argentina: resgate de brasileiro morto em caverna foi gravado

Acidente no Pará: Seis pessoas morrem após micro-ônibus cair no Rio Amazonas

"Na sexta-feira e no sábado, o controle do espaço aéreo ocorreu dentro da normalidade, não havendo registro de ocorrência aeronáutica no Estado do Rio Grande do Sul. Nenhum objeto desconhecido foi identificado pelos radares de defesa aérea", garantiu a FAB, em nota encaminhada pela Infraero à reportagem.

As luzes irregulares chamaram a atenção de dois pilotos que sobrevoavam Porto Alegre, em Rio Grande do Sul, no sábado. Em vídeos registrados pela Central de Controle do Aeroporto Salgado Filho, o piloto do voo 3406, da LATAM, e outro do voo 4657, da Azul, afirmaram terem visto luzes no céu que, "às vezes apagam, às vezes acedem".

O voo 3406 partiu do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, às 21h55, chegando a Porto Alegre às 23h31. O piloto, ao notar as luzes no céu, informa que a posição delas é de "10 para 11 horas".

'Três luzes girando em espiral'

“Por gentileza, só por curiosidade, tem algum ‘reporte’ de algum objeto na posição de 10 para 11 horas, praticamente sobre Porto Alegre, um pouquinho ao sul?”, perguntou. "Umas luzes, às vezes apagam, acendem. Tem umas luzes. Por vezes, elas apagam, acendem. Às vezes são uma, às vezes são duas ou três". Logo depois ele repete o contato com a comunicação da Central de Controle do Aeroporto Salgado Filho, "a gente continua avistando as luzes. Agora, de uma outra perspectiva ela está bem ao sul de Porto Alegre, sentido Argentina. As luzes continuam aparecendo e se cruzando no céu.”

Mistério: Pentágono está comprometido em entender origens dos OVNIs, dizem autoridades ao Congresso dos EUA

A central de controle entrou em contato com o piloto do voo 4657, da Azul, perguntando se ele havia notado alguma coisa diferente no céu, ao qual respondeu: “Ah, ia informar vocês, mas iam falar que estou louco. Na verdade, estamos vendo essas luzes desde lá de Confins (Belo Horizonte). São três luzes girando em espiral entre elas, bem forte”, confirmou. “Estavam bem mais alto que a gente.” O voo partiu de Belo Horizonte por volta das 21h25 e chegou a Porto Alegre às 23h42.

Pilotos podem ter visto o brilho de outro planeta, explica especialista

Antonio Nemer Kanann, do Planetário da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), explica que essas luzes, geralmente, são fenômenos atmosféricos, como reflexos da luz de planetas brilhantes, a exemplo de Vênus. Contudo, ele reforça que, apesar das muitas ocorrências de casos similares ao de Porto Alegre, a causa e origem das luzes é desconhecida por pesquisadores.

— Sempre que a gente vê uma ocorrência como essa, é preciso conhecer a posição, hora e lugar de onde o fenômeno aconteceu. A posição, por exemplo, pode corresponder a de um planeta do sistema solar. Vênus é um planeta muito brilhante, é comum que nuvens ou "bolsas de ar" ajudem a refletir seu brilho. O interessante das luzes de Porto Alegre é que dois pilotos as identificaram, elas estavam muito altas no céu, tanto que aquele de Minas Gerais as avistou de Confins a Porto Alegre, mas não existe, até o momento, explicação – diz Kannan.

Empresas aéreas reforçam que relato faz parte do protocolo dos pilotos

Procurada, a empresa aérea Latam afirmou que "os seus tripulantes são treinados e orientados a reportarem qualquer eventualidade de forma imediata ao controle de tráfego aéreo para as devidas orientações. A companhia reitera que segue os mais elevados padrões de segurança, atendendo aos regulamentos das autoridades nacionais e internacionais". De forma parecida, a Azul informou que "seus tripulantes seguem os mais rigorosos protocolos de segurança e que, qualquer eventualidade, é comunicada imediatamente ao controle de tráfego aéreo e segue para investigação das autoridades competentes."