Ovos de Páscoa estão mais caros e menores em 2021

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Os brinquedos que vêm nos ovos de Páscoa são o chamariz para as crianças. E por esta razão entidades de defesa do consumidor orientam os consumidores; veja (Henrique Barreto/Futura Press)
Estimativa na Páscoa é de R$ 1,62 bilhões em vendas, 2,2% a menos que em 2020 (Henrique Barreto/Futura Press)
  • Ovos de Páscoa estão 7% mais caros e vendas devem ser menores que em 2020

A segunda Páscoa da pandemia da covid-19 deve ter resultados piores, ovos menores e mais caros. Segundo pesquisa da Apas (Associação Paulista de Supermercados), os preços dos ovos de Páscoa estão 7% mais caros em 2021. Assim, donos de supermercado preferiram comprar menos ovos grandes, de 750 gramas, e mais ovos pequenos, de 170 gramas. As informações são do Estadão. 

Leia também:

Com queda de quase 30% nas vendas em 2020, agora a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) estima R$ 1,62 bilhões em vendas, 2,2% a menos que no ano passado.

As entidades apontam inflação, desemprego, alta do dólar e falta do auxílio emergencial como ração para o baixo desempenho. 

Inflação

De fevereiro de 2020 até 2021, o preço do chocolate subiu 7% e a inflação dos principais serviços consumidor no período teve um aumento de 4,8%. É o que mostra um estudo na CNC que tem como base os resultados da inflação oficial brasileira, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Segundo o presidente da Apas, Ronaldo Santos, 2021 trouxe uma carga inflacionária nos valores dos alimentos vinda lá de 2020. Com isso, a dificuldade do dono de supermercado é ter preços compatíveis com o mercado e ainda sim manter uma margem de lucro. 

Procon-SP encontra diferença de até 91% nos preços de ovos de Páscoa
Procon-SP encontra diferença de até 94,19% nos preços de itens de Páscoa

Diferença de preço

Uma pesquisa divulgada pela Fundação Procon-SP em março mostrou uma diferença de até 94,19% em preços de chocolates vendidos em supermercados. O levantamento teve como alvo produtos para Páscoa, como caixas de bombons, ovos e barras de chocolates de várias marcas.

Foi ao pesquisar os preços do tablete de chocolate Alpino de 90 gramas da Nestlé que o Procon-SP encontrou os 94,19% de diferença. Em um local, o produto custava R$ 4,99 e em outro custava R$ 9,69. Com a diferença de R$ 4,70, quase dava para comprar outro no primeiro estabelecimento. 

O órgão orienta que os consumidores comparem os preços, tanto em lojas virtuais como físicas. Nos estabelecimentos online, também é importante comparar o valor do frete.