Ozil é retirado do jogo PES na China por causa de críticas ao país em relação aos uigures

O meia do Arsenal Mesut Ozil foi retirado do jogo de vídeo game Pro Evolution Soccer (PES), da Konami, na China por ter criticado o tratamento dado pelo país aos membros muçulmanos da etnia uigur na região de Xinjiang.

A NetEase, responsável pela franquia do PES na China, confirmou nesta quarat-feira que vai tirar Ozil dos três títulos existentes, incluindo o PES 2020 Mobile.

"O jogador alemão Ozil divulgou uma declaração extrema sobre a China nas redes sociais. O discurso feriu os sentimentos dos torcedores chineses e violaram o espírito esportivo de amor e paz. Não entendemos, aceitamos ou perdoamos isso", disse a NetEase na rede social chinesa Weibo.

Ozil, muçulmano de origem turca, publicou mensagens nas redes sociais, na semana passada, chamando a minoria dos uigures de "guerreiros que resistem à perseguição" e criticou tanto a repressão da China como o silêncio dos muçulmanos.

Em resposta às críticas de Ozil, o governo da China optou por eliminar qualquer alusão ao jogador na internet e decidiu não transmitir o clássico entre Arsenal e Manchester City no último domingo pela Premier League.

Na segunda-feira, o Ministério das relações Exteriores da China disse que Ozil foi "enganado por notícias falsas". O Arsenal manteve distância dos comentários de Ozil e disse que o clube "sempre aderiu ao princípio de não se envolver com política".

O jogador recebeu apoio do ex-treinador do Arsenal, Arsène Wenger, que defendeu o direito do jogador a expressar sua opinião.