Posse de Lula: parte do público reclama da estrutura e deixa Esplanada

Apoiadores e militantes de esquerda chegam à Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para a posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, neste domingo (1º). (Foto:Gabriela Biló/Folhapress)
Apoiadores e militantes de esquerda chegam à Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para a posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, neste domingo (1º). (Foto:Gabriela Biló/Folhapress)

Apoiadores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que estão na Esplanada dos Ministérios para acompanhar a cerimônia de posse reclamam da falta de estrutura no local.

As pessoas se queixam de água para beber e de banheiros. Algumas delas, inclusive, resolveram ir embora.

Na Praça dos Três Poderes, uma multidão enfrenta o sol sem oferta de comida e praticamente sem acesso a água e sombra.

Policiais no local afirmaram que banheiros foram disponibilizados, mas muitos dos presentes reclamavam de não haver —e a reportagem não os encontrou.

Para aplacar o calor, bombeiros estão lançando jatos d'água sobre o público. Houve registros de pessoas passando mal que precisaram ser socorridas pelas equipes de saúde.

Durante a revista para acessar o local, houve desorganização.

Mais de uma vez, grupos grandes de pessoas passaram pela barreira de uma só vez, e a reportagem flagrou gente atravessando sem ser revistada.

Após a lotação da Praça, o acesso foi fechado pela Esplanada foi fechado. Esse é um dos pontos sensíveis do ponto de vista da segurança pela proximidade com o Palácio do Planalto.

A cerimônia de posse incluirá desfile em carro, shows musicais e discursos de Lula. Os organizadores do evento esperam um público total de 300 mil pessoas na Esplanada.

O petista e Geraldo Alckmin (PSB) devem chegar às 14h20 na Catedral de Brasília, com as esposas Janja e Lu Alckmin.

Depois irão ao Congresso onde será realizada uma sessão solene de posse, às 15h. Uma hora depois, Lula deve sair do Senado e ir até a área externa do Palácio do Planalto, onde terá início a cerimônia de honras militares e entrega da faixa presidencial na rampa da sede do Executivo.

Milhares de pessoas tomam a Esplanada para assistir à posse. As filas para revista na entrada do local já reuniam centenas de apoiadores antes das 8h, com intenso fluxo de pessoas chegando nas proximidades da rodoviária central de Brasília para acessar a Esplanada.

Homens e mulheres foram divididos em filas para passar pela inspeção de segurança, e policiais pediam para esvaziarem bolsos e mochilas.

Dentro da área isolada para o Festival do Futuro, evento com mais de 50 atrações musicais, uma segunda fila se formou, percorrendo toda a Esplanada, para os apoiadores que desejavam entrar na Praça dos Três Poderes.

A reportagem flagrou o momento em que pessoas furaram o bloqueio da Polícia Militar, sem serem notadas pela segurança. Apoiadores que já estavam dentro do local protestaram e avisaram agentes da Polícia Militar, que se deslocaram para o local.

Pouco depois das 9h, a fila para entrar na Praça dos Três Poderes se transformou em uma aglomeração de pessoas. Houve correria e reclamações de "fura fila" entre os apoiadores que tentavam entrar na área mais restrita da cerimônia.

Na revista para a entrada na Praça dos Três Poderes, houve aglomeração em frente aos cinco detectores de metais e não havia orientação, sinalização, nem pessoas trabalhando para organizar a fila.

Na passagem pelo detector, policiais fizeram nova inspeção em bolsos e mochilas de quem passava.

Autoridades do Governo do Distrito Federal e integrantes do grupo de transição avaliam que a posse na capital federal deve receber cerca de 300 mil pessoas, que tomaram a capital federal divididas entre a euforia e o receio, em razão dos recentes episódios de violência e das ameaças de ataque terrorista.

Cerca de 50 mil pessoas de outras cidades se cadastraram no PT para informar que participariam da cerimônia de posse.

Para acomodar os apoiadores, o partido conseguiu autorização para usar escolas públicas como alojamento e distribuiu o restante do grupo em barracas no Parque da Cidade, no estádio Mané Garrincha e na Granja do Torto.

Veja horários da posse de Lula

  • 13h45 - Chegada de convidados, chefes de Estado e de governo ao Congresso;

  • 14h20 - Chegada do presidente eleito e vice-presidente à Catedral de Brasília;

  • 14h30 - Desfile do cortejo presidencial em carro, da Catedral de Brasília ao Congresso Nacional, em percurso que deve durar 10 minutos;

  • 14h40 - Recepção de Lula e Alckmin no Congresso pelos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado;

  • 15h - Abertura da sessão solene de posse de Luiz Inácio Lula da Silva;

  • 15h50 - Deslocamento do presidente e do vice para a Sala de Audiências da Presidência do Senado;

  • 16h05: Saída do presidente da sala de audiências e início da cerimônia externa de honras militares;

  • 16h20: Saída do presidente e do vice para o Palácio do Planalto.

Quer ver os horários de shows e atrações? Clique aqui.

Quais chefes de Estado confirmaram presença na posse de Lula?

São os seguintes chefes de Estado:

  • Rei da Espanha, Filipe VI;

  • Presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier;

  • Presidente da Angola, João Lourenço;

  • Presidente da Argentina, Alberto Fernández;

  • Presidente da Bolívia, Luis Arce;

  • Presidente de Cabo Verde, José Maria Neves;

  • Presidente do Chile, Gabriel Boric;

  • Presidente da Colômbia, Gustavo Petro;

  • Presidente do Equador, Guillermo Lasso;

  • Presidente da Guiana, Irfaan Ali;

  • Presidente de Guiné Bissau, Umaro Sissoco Embaló;

  • Presidente de Honduras, Xiomara Castro;

  • Presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez;

  • Presidente do Peru, Dina Boluarte;

  • Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa;

  • Presidente do Suriname, Chan Santokhi;

  • Presidente de Timor Leste, José Ramos-Horta;

  • Presidente de Togo; Faure Gnassingbé;

  • Presidente do Uruguai; Luis Alberto Lacalle Pou;

Para representar o presidente do México, virá a primeira-dama, Beatriz Gutiérrez Müller.

Além de chefes de Estado, virão vice-chefes de Estado, de governo e de poder, além de representantes especiais.

Ao menos nove governadores que assumiram neste dia 1º irão à cerimônia. Veja os confirmados:

  • Jerônimo Rodrigues (PT), governador da Bahia;

  • Elmano de Freitas (PT), governador do Ceará;

  • Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal;

  • Carlos Brandão (PSB), governador do Maranhão;

  • João Azevedo (PSB), governador da Paraíba;

  • Helder Barbalho (MDB), governador do Pará;

  • Rafael Fonteles (PT), governador do Piauí;

  • Cláudio Castro (PL), do Rio de Janeiro;

  • Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte;

Por que Maduro não vem à posse Lula?

A visita foi cancelada cancelada na noite de sábado (31). Seguranças de Maduro já estavam em Brasília e a equipe de Lula não foi informada do motivo.

De acordo com Jamil Chade, do portal UOL, o cancelamento da viagem de Maduro acontece por conta das sanções americanas impostas sobre qualquer empresa que mantenha relações comerciais com o governo venezuelano “colocaram um obstáculo extra para o desembarque” de Maduro. "Empresas que reabasteceriam o avião de Maduro para permitir que ele volte ao seu país podem ser punidas pelo governo americano", explica a reportagem.

N sexta-feira (30), Jair Bolsonaro (PL) liberou a vinda do presidente da Venezuela ao Brasil para participar da posse.

Bolsonaro publicou a liberação em portaria interministerial no DOU (Diário Oficial da União), revogando a portaria de 2019, que impedia a entrada de Maduro e seus assessores em território brasileiro.