S&P 500 fecha em máxima por alta de vendas no varejo

·1 min de leitura
Decoração natalina na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE)

Por Echo Wang

(Reuters) - O índice S&P 500 fechou em máxima recorde nesta segunda-feira, a quarta sessão consecutiva de ganhos. O movimento foi impulsionado por vendas no varejo que ressaltaram a força da economia dos EUA e diminuíram preocupações com os cancelamentos de voos causados pela variante Ômicron.

As vendas no varejo da temporada de fim de ano nos EUA aumentaram 8,5% de 1º de novembro a 24 de dezembro, devido a um boom do comércio eletrônico, de acordo com um relatório da Mastercard Inc, que impulsionou o índice de varejo do S&P 500.

"O mercado está neste lugar interessante, onde temos um consumidor forte, com gastos acima de 8% ano a ano. O consumo pessoal representa 70% do nosso PIB, e isso continua em alta", disse Sylvia Jablonski Kampaktsis, diretora de investimentos e cofundadora da Defiance ETFs em Nova York.

O Dow Jones subiu 0,98%, para 36.302,38 pontos, o S&P 500 teve alta de 1,38%, para 4.791,19, e o Nasdaq encerrou com ganho de 1,39%, a 15.871,26.

Todos os 11 principais índices setoriais do S&P 500 avançaram, com energia e tecnologia liderando os ganhos percentuais.

O S&P 500 subiu 4,9% durante a recente série de ganhos, seu maior aumento percentual em um período de quatro dias desde o início de novembro de 2020.

Os principais índices de ações dos EUA estão a caminho de um terceiro ano consecutivo de alta, o S&P 500 deve ter o melhor desempenho em três anos desde 1999.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos