PMs salvam recém-nascido engasgado após pais pedirem ajuda em batalhão

Pais correram até o batalhão da PM, onde os militares conseguiram salvar o bebê. (Foto: Divulgação/Polícia Militar do Estado de SP)

Um bebê de 21 dias foi salvo por dois policiais militares após os pais invadirem um batalhão da PM (Polícia Militar) localizado no bairro Vista Alegre, em Marília, no interior de São Paulo, pedindo socorro. A ação rápida dos PMs, realizada na segunda-feira (15), salvou a vida do recém-nascido, que havia parado de respirar ao se engasgar com o leite materno.

As informações são do portal UOL.

Os cabos da PM Renato Taroco e Robson Tiago faziam a segurança do quartel quando o casal chegou correndo, desesperados com o filho nos braços. Os pais procuraram socorro na PM porque moram a apenas quatro minutos de distância do batalhão.

“Eu só ouvi: 'salva meu filho! salva meu filho!' E, de repente, já estava com o bebê nos braços, roxinho”, contou o cabo Taroco ao portal UOL. “Eu sugava a boca e o nariz juntos, e o Thiago fazia a massagem cardíaca”.

O procedimento, segundo o cabo, foi repetido por três vezes até que ele respondesse.

Veja o vídeo:

“Fizemos isso [respiração e massagem] uma, duas vezes, e nada do bebê reanimar. Bateu um desespero. Na terceira vez, quando virei ele de bruços, senti o coraçãozinho na minha mão. Voltei ele para mim, vi o olhinho e a boca abertos. E disse: 'voltou! voltou!'”, declarou Taroco.

Leia mais

Após o salvamento, o bebê foi levado para um hospital. Ele passa bem e já está em casa. Na terça-feira (16), ambos os policiais visitaram a família e a criança, que se chama Luis Henrique e é o primeiro filho do casal. “A mãe só olha pra gente e chora”, declarou o policial.

OUTRO SALVAMENTO

O cabo PM Taroco é internacionalmente conhecido por outro salvamento histórico. Em 2015, o cabo levantou um carro em chamas para salvar dois policiais que ficaram presos embaixo do veículo após uma colisão na estrada.

Na tentativa de levantar o carro, o PM teve braço e tornozelo fraturados, além do rompimento da panturrilha e da coxa. Por sua atitude, ele recebeu da Swat - a polícia especializada dos EUA - uma homenagem por bravura, que nunca tinha sido antes concedida a brasileiros.