País tem 3 milhões à espera de acesso a Bolsa Família e INSS

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, RIO E SÃO PAULO - Com cinco filhos, Janaína Trindade, de 31 anos, e o marido, Rodrigo de Lima, de 43 anos, dependem da ajuda de estranhos em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba.

— Pedi ajuda a quem poderia doar alimento, não tenho dinheiro para o mercado. Já mandei as crianças para a casa da avó para terem o que comer. Houve dia em que a gente só teve abóbora e água — diz Janaína, que teve o benefício do Bolsa Família bloqueado no mês passado e vai voltar para a fila.

Não é a única. Três milhões de brasileiros estão à espera de benefícios sociais e previdenciários numa fila que o governo não consegue reduzir.

A dificuldade de acesso agrava a vulnerabilidade de muitas famílias a pouco mais de um mês do fim do auxílio emergencial, pago a 39,3 milhões de pessoas. E até agora o governo não conseguiu superar o impasse para colocar de pé a nova versão do Bolsa Família, o Auxílio Brasil.

Veja qual a proporção de brasileiros que vive hoje na pobreza e as perspectivas com o fim do auxílio, segundo cálculos do pesquisador Marcelo Neri.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos