País tem entrada de US$ 6,9 bi em investimentos estrangeiros em março e mantém trajetória superior a 2020

Gabriel Shinohara
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O Banco Central (BC) divulgou nesta segunda-feira que o Investimento Direto no País (IDP) em março foi de US$ 6,9 bilhões. Esse resultado, em conjunto com os US$ 9 bilhões que entraram em fevereiro, apontam para uma recuperação dos investimentos estrangeiros no país.

O IDP dos últimos dois meses é bem superior à média de US$ 2 bilhões por mês registrada no segundo semestre de 2020. Para abril, o BC ainda projeta entrada de US$ 4,9 bilhões.

Na comparação entre o primeiro trimestre de 2020, quando US$ 12,6 bilhões entraram no país, o aumento de investimentos estrangeiros foi de 40%. Nos primeiros três meses deste ano, o IDP foi de US$ 17,7 bilhões.

Após os primeiros efeitos da crise em março de 2020, os números registrados pelo Banco Central para o IDP durante todo o ano passado apresentaram índices menores do que a média histórica. A crise econômica elevou as incertezas, o que fez com que muitas empresas repressassem seus investimentos.

A expectativa no mercado é que essa recuperação seja calcada na recuperação da economia global, que tem avançado junto com a vacinação contra a Covid-19 na Europa e nos Estados Unidos.

O IDP engloba investimentos duradouros no país, como a expansão da capacidade produtiva de uma fábrica ou investimentos em uma nova filial de uma empresa estrangeira. Por isso, depende que os investidores tenham segurança no momento de tomar as decisões.

A projeção para 2021 é que US$ 60 bilhões entrem no país, quase o dobro dos U$$ 34 bilhões registrados em 2020.