Países da África Ocidental pedem eleições em seis meses na Guiné

·1 minuto de leitura
Líderes dos países da África Ocidental posam para foto oficial da reunião de cúpula em Gana (AFP/Nipah Dennis)

Líderes de países da África Ocidental pediram à junta militar da Guiné que convoque eleições nos próximos seis meses para devolver o poder aos civis, e anunciaram sanções contra os líderes do golpe realizado no começo do mês.

Os integrantes da Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (Cedeao) se reuniram nesta quinta-feira para discutir a situação daquele país, suspenso do bloco após a derrubada do presidente Alpha Condé, agora detido.

"Os chefes de Estado insistiram em que a transição deve ser breve", disse o presidente da comissão da Cedeao, Jean Claude Kassi Brou, após a reunião de cúpula, realizada em Acra, Gana. “A transição não deve durar mais de seis meses. Em seis meses, eleições devem ser realizadas”, enfatizou.

Em nota, o bloco anunciou a imposição de sanções de viagem a integrantes da junta militar e seus familiares, bem como o congelamento de seus ativos financeiros. A Cedeao pediu que a União Africana, as Nações Unidas e a União Europeia apoiem essas decisões.

Na Guiné, as novas autoridades encerravam na sexta-feira quatro dias de encontros com líderes políticos, religiosos, ativistas, diplomatas, empresários e sindicalistas visando a estudar a transição para um governo civil.

Tanto a Cedeao quanto a União Africana suspenderam a Guiné de seus órgãos após o golpe.

str/pma/pvh/dbh/yow/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos