Países da UE estão prontos para começar a usar vacina da J&J contra Covid-19

·2 minuto de leitura

BERLIM (Reuters) - Países europeus se preparavam nesta quarta-feira para começar a usar a vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson e acelerar suas campanhas de vacinação depois que o regulador europeu de medicamentos aprovou o imunizante e as entregas começaram a acontecer após pausa de uma semana.

O ministério da Saúde da Alemanha disse que iniciará as entregas aos Estados federais para uso em centros de vacinação em breve, e que os médicos de família devem receber a vacina a partir da próxima semana.

A Holanda planejava começar a usá-la na próxima semana.

Pouco mais de 320.000 doses chegaram a dez países dos 30 membros do Espaço Econômico Europeu (EEE) nesta quarta-feira, de acordo com dados do Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC).

A Polônia e a Holanda responderam pela maior parte da carga, com 117,6 mil e 79,2 mil doses, respectivamente.

Isso é apenas uma pequena parte dos 134 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 entregues desde que a vacinação começou quase quatro meses atrás e em comparação com as remessas maiores da Pfizer/BioNTech durante esse tempo.

Mas a chegada da quarta vacina autorizada para uso na Europa oferece esperança, enquanto os governos lutam para obter imunizantes após um início lento atormentado por problemas de produção e preocupações de segurança. A região também está lutando contra um aumento nas infecções que obrigou alguns países a retomar medidas de lockdown.

A J&J deve entregar 55 milhões de doses de sua vacina à UE até o final de junho.

As novidades ocorrem depois que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) disse na terça-feira que encontrou uma possível ligação entre a vacina da J&J e problemas raros de coagulação do sangue em adultos que receberam doses nos Estados Unidos, mas disse que os benefícios do imunizante de dose única superam seus riscos.

O ministério da saúde da Itália recomendou que a vacina J&J fosse usada em pessoas com mais de 60 anos.

Na Alemanha, não ficou claro se os reguladores limitariam o uso da vacina da J&J a uma determinada faixa etária, como fizeram com a vacina da AstraZeneca, que seu comitê de vacinas também recomenda para 60 anos ou mais. O comitê, conhecido como STIKO, deve se reunir na quinta-feira.

A autoridade sanitária dinamarquesa espera anunciar sua decisão na próxima semana sobre como proceder, aguardando mais investigações sobre a possível ligação da vacina com coágulos sanguíneos raros.

Os reguladores dos EUA vão decidir no final desta semana se reiniciam o uso da vacina. Quase 8 milhões de pessoas nos Estados Unidos receberam a o imunizante da J&J.

A J&J disse que está trabalhando em estreita colaboração com os reguladores e observou que nenhuma relação causal clara foi estabelecida entre os casos de coagulação e sua vacina.

(Reportagem de Andreas Rinke e Josephine Mason, com reportagem adicional de Patricia Weiss)