Países europeus e Israel proíbem voos da África após descoberta de nova variante do coronavírus

·1 min de leitura

A Organização Mundial da Saúde convocou para esta sexta-feira (26) uma reunião de emergência para discutir a nova variante do coronavírus identificada na África, a B.1.1.529. Horas depois do anúncio desta convocação, vários países Europeus e Israel decidiram impor medidas restritivas aos viajantes provenientes do continente africano.

Vinícius Assis, correspondente da RFI na África do Sul.

A partir desta sexta-feira, passageiros vindos da África do Sul não podem desembarcar em aeroportos britânicos. A decisão foi anunciada pelo secretário de Estado para Saúde e Assistência Social do Reino Unido, Sajid Javid. Também estão na chamada lista vermelha Namíbia, Lesoto, Eswatini, Zimbábue e Botsuana.

“Mais dados são necessários, mas estamos tomando precauções agora”, postou Sajid Javid no Twitter.

A medida foi criticada pelo governo sul-africano. “Nossa preocupação imediata é o dano que esta decisão causará tanto às indústrias de turismo quanto às empresas de ambos os países”, disse a ministra das Relações Exteriores da África do Sul, Naledi Pandor, em um comunicado.

Israel também vai impedir a entrada de pessoas vindas desses países, assim como de Moçambique. O ministério da Saúde israelense anunciou nessa sexta-feira o primeiro caso de contaminação com a nova variante em uma pessoa vinda do Malawi.

O governo alemão também anunciou que vai recusar a entrada em seu território de viajantes estrangeiros vindos da África do Sul a partir desta sexta-feira. Os cidadãos alemães que viajarem que voltarem do país terão que respeitar uma quarentena de 14 dias, mesmo que estejam vacinados.

Motivo de preocupação

Quarta onda

Vacina


Leia mais

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos