Pablo Marçal gastou R$ 738 mil em candidatura rejeitada pelo TSE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O coach Pablo Marçal (Pros) investiu quase R$ 738,5 mil de seus recursos na própria candidatura presidencial, que foi rejeitada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na última terça-feira (6).

Foram 15 depósitos, sendo o último deles, no valor de R$ 80 mil, no mesmo dia em que a impugnação foi confirmada pela Justiça Eleitoral.

De acordo com os registros do TSE, Marçal é o maior "autodoador" da eleição até o momento, bem à frente do segundo colocado no ranking, que deu R$ 500 mil a sua própria campanha.

Apesar disso, os recursos que o coach aportou equivalem a apenas 0,76% do patrimônio que declarou ao registrar a candidatura, de R$ 96,9 milhões. A lei eleitoral não impõe limites a que um candidato use seu próprio patrimônio numa campanha.

A candidatura foi rejeitada pelo TSE porque uma nova direção do Pros, ao assumir no início de agosto após decisão judicial, decidiu apoiar Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Marçal diz que não se dá por vencido e que protocolará um recurso ao STF. Sobre os recursos, afirma que grande parte já foi usada, e que não sabe se conseguirá reaver o dinheiro caso não possa concorrer.