Pacheco acredita que sabatina de André Mendonça ocorrerá "nas próximas semanas"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O indicado ao STF, André Mendonça (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
O indicado ao STF, André Mendonça (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
  • Pacheco afirmou que acredita que a sabatina de André Mendonça ocorrerá nas próximas semanas

  • Indicação do presidente Jair Bolsonaro ocorreu há três meses, mas a reunião não foi marcada

  • Data da sabatina depende do presidente da CCJ, senador Davi Alcolumbre

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que acredita que a sabatina de André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal, irá ocorrer nas próximas semanas. As declarações foram dadas em entrevista à rádio CNN.

Mendonça precisa ser sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para depois ter seu nome avaliado no plenário da Casa.

Leia também:

A questão é que, depois de três meses de Mendonça ter sido oficialmente indicado, o presidente da CCJ, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ainda não marcou a sabatina. Senadores têm pressionado para que a audiência seja marcada, mas a data depende da definição de Alcolumbre.

Questionado sobre um possível movimento dos parlamentares da Casa de paralisar o andamento das análises do plenário para pressionar pela sabatina, Pacheco destacou que a indicação de Mendonça não pode ser tratada como a única e principal questão do país.

Segundo ele, a pauta não pode ser contaminada pela polêmica envolvendo a sabatina.

O presidente do Senado comentou ainda sobre o fim da CPI da Pandemia, que irá encerrar os trabalhos na próxima semana com apresentação e votação do parecer do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Pacheco ressaltou que espera um relatório equilibrado.

Sobre seu nome ser cogitado para a disputa pela Presidência da República em 2022, o senador disse que não quer antecipar a discussão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos