Pacheco diz que manifestações pelo fechamento do STF e intervenção militar são 'anomalias graves'

Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), criticou neste domingo as manifestações de 1º de maio que pediam, segundo ele, "intervenção militar e o fechamento do Supremo Tribunal Federal".

Em seu perfil no Twitter, Pacheco escreveu que esses atos são "ilegítimos, antidemocráticos" e "anomalias graves que não cabem em tempo algum". O presidente do Senado ainda comentou que eles visam "ofuscar a essência da data", que sempre foi "marcada por reinvidicações dos trabalhadores brasileiros".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos