Pacheco entrega a Aras representação contra 38 golpistas presos no Congresso e pede empenho para puni-los

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), entregou nesta sexta-feira ao procurador-geral da República, Augusto Aras, uma representação contra 38 pessoas detidas pela Polícia Legislativa nos atos golpistas de 8 de janeiro. Entre as sugestões da Advocacia-Gera do Senado, estão a prisão e o bloqueio de bens dos envolvidos no ataque terrorista. No encontro, Aras disse que até a próxima terça-feira a procuradoria decidirá sobre oferecimento de denúncia sobre os suspeitos de participar dos ataques ao Congresso.

Seis pontos: por que minuta sobre intervenção no TSE achada na casa de Torres tinha teor golpista

Antes de revelação sobre minuta, Bolsonaro disse em última live sobre eleições: 'Busquei saída dentro das quatro linhas'

A identificação dos envolvidos foi mantida em sigilo pelo Senado

- Nosso objetivo e nosso desejo é que haja o máximo de empenho do Ministério Público Federal, todo ele que é uno e indivisível, desde o procurador geral até as instâncias nos estados do Ministério Público Federal, para coibirmos em repreensão esses fatos e evitarmos que outros fatos possam acontecer a partir de algum sentimento de impunidade que possa surgir – disse Pacheco.

O presidente do Congresso também propôs medida cautelar para o sequestro de bens bloqueio de ativos para o ressarcimento dos danos causados pelos vândalos. No Senado, a estimativa é um prejuízo de cerca de R$ 3,5 milhões.

O procurador-geral, por sua vez, disse que o grupo estratégico criado para apurar os atos terroristas do dia 8 de janeiro vai trabalhar ao longo do fim de semana para que providências imediatas sejam tomadas a partir da representação apresentada pelo presidente do Congresso. Segunda Aras, o objetivo é que até terça-feira ocorra o oferecimento das denúncias.

-- Nós vamos nos debruçar com rapidez e com a confiança de que é preciso responder aos fatos que o nosso maior valor constitucional é a democracia – disse Aras. -- Neste momento o nosso Ministério Público Federal está totalmente voltado para apuração dos responsáveis, identificação dos responsáveis e buscar a punição dos culpados – completou.