Pacheco fala em 'dividir lucros' da Petrobras após reajuste de combustíveis

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Em reação ao reajuste divulgado nesta sexta-feira pela Petrobras, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que o governo deveria aceitar "dividir os enormes lucros" da estatal.

Pacheco é favorável à Conta de Estabilização de Preços, proposta já aprovada pelo Senado que permite que o governo use os dividendos da Petrobras para mitigar os efeitos da alta nos combustíveis, gerando um auxílio para famílias de baixa renda. Ele cobra a Câmara dos Deputados para aprovar também o projeto de lei.

Petrobras: Apesar de reajuste, estatal ainda vende combustível com preços defasados

Alta de preços: Bolsonaro diz que Petrobras 'pode mergulhar o Brasil num caos' com reajuste

Petrobras: Conselheiro propõe congelar preço por 45 dias e criação de grupo de trabalho

"Se a situação dos preços dos combustíveis está saindo do controle, o Governo deve aceitar dividir os enormes lucros da Petrobras com a população, por meio de uma conta de estabilização de preços em momentos de crise", disse Pacheco. "Afinal, é inexistente a dicotomia Petrobras e governo, pois a União é a acionista majoritária da estatal e sua diretoria indicada pelo Governo. Além disso, medidas semelhantes estão sendo adotadas por outros países em favor de sua economia e de sua população."

"O Senado aprovou inúmeras matérias legislativas que estavam ao seu alcance e agora espera medidas rápidas e efetivas por parte da Petrobras e de sua controladora, a União. Já que o governo é contra discutir a política de preços da empresa e interferir na sua governança, a conta de estabilização é uma alternativa a ser considerada", afirmou o presidente do Senado em nota.

Na Câmara dos Deputados, o presidente Arthur Lira (PP-AL) convocou uma reunião de líderes na próxima segunda-feira para tratar de combustíveis. Em declarações hoje, ele defendeu aumentar a taxação da estatal e pediu a renúncia do presidente da Petrobras.

Crise: Conselho de Administração avalia formas de blindar empresa para evitar mudanças na diretoria

Um das propostas discutidas na Câmara para frear o preço dos combustíveis seria aumentar a tributação dos dividendos da Petrobras. A arrecadação obtida com a medida seria usada para subsidiar de alguma forma o preço dos combustíveis, segundo os defensores dessa medida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos